Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/6917
Tipo: Dissertação
Data do documento: 2015
Autor(es): PEREIRA, Priscila Maria
Primeiro(a) Orientador(a): QUEIROZ, Helder Lima de
Primeiro(a) coorientador(a): VALSECCHI, João
Título: Caracterização e dinâmica espacial da caça de primatas em comunidades ribeirinhas da Amazônia Central
Citar como: PEREIRA, Priscila Maria. Caracterização e dinâmica espacial da caça de primatas em comunidades ribeirinhas da Amazônia Central. 2015. 74 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Zoologia.
Resumo: Os primatas são importante item alimentar para as populações que vivem em locais isolados, e estão entre as espécies mais caçadas por populações tradicionais e indígenas, principalmente nas regiões neotropicais. No entanto, pouco se conhece sobre as características e os padrões espaciais da atividade de caça, e sua abrangência no espaço e no tempo, impedindo uma real avaliação do impacto desta atividade. O objetivo deste trabalho foi descrever, quantificar e analisar a dinâmica espacial da caça de primatas na Amazônia Central, em ambientes de várzea e de terra firme, através de dados de monitoramento de pequenas comunidades ribeirinhas acumulados ao longo de 11 anos. Neste período, o sistema de monitoramento registrou 402 caçadas de primatas, totalizando 541 animais abatidos de nove espécies: Alouatta juara, Aotus cf. vociferans, Ateles chamek, Cacajao ouakary, Callicebus torquatus, Cebus albifrons, Saguinus inustus, Saimiri cassiquiarensis e Sapajus macrocephalus. Destas caçadas, 240 ocorreram em Amanã e 162 em Mamirauá. As distâncias percorridas pelos caçadores a partir das suas comunidades foram significativamente diferentes nos dois ambientes (T= -2,451; gl = 41; p <0,05), os caçadores de terra firme caçam em locais mais distantes que os caçadores de várzea. Quando analisamos o tamanho das áreas utilizadas pelos caçadores, as de terra firme também foram significativamente maiores do que a várzea (F(2,56)=21,471; P<0,01). Embora a contribuição da biomassa de primatas seja pequena, quando comparada a outras espécies, como queixada e paca, o guariba ainda é uma das espécies mais caçadas na Amazônica Central. Para conhecermos o real impacto da atividade de caça entre os primatas, o estudo comprova a necessidade de um monitoramento contínuo das áreas de caça, bem como a análise da sua variação espacial ao longo dos anos.
Palavras-chave: Primata
Caça de subsistência
Floresta de terra-firme
Floresta de várzea
Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã - AM
Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - AM
Amazonas - Estado
Amazônia brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA::ZOOLOGIA APLICADA
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Museu Paraense Emílio Goeldi
Sigla da Instituição: UFPA
MPEG
Instituto: Instituto de Ciências Biológicas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Aparece nas coleções:Dissertações em Zoologia (Mestrado) - PPGZOOL/ICB

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_CaracterizacaoDinamicaEspacial.pdf2,1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons