Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7091
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: 2007
metadata.dc.creator: BORTOLOTI, Renato
ROSE, Júlio Cesar Coelho de
Title: Medida do grau de relacionamento entre estímulos equivalentes
Other Titles: Measuring the relatedness of equivalent stimuli
Citation: BORTOLOTI, Renato; ROSE, Júlio C. de. Medida do grau de relacionamento entre estímulos equivalentes. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 252-258, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/prc/v20n2/a11v20n2.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2016. <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722007000200011>.
metadata.dc.description.resumo: Este estudo apresenta um procedimento para verificar a existência de "graus de relacionamento" diferentes entre estímulos equivalentes por meio de uma medida quantitativa de compartilhamento de funções. Dois grupos de estudantes universitários participaram do estudo. Os participantes do grupo experimental estabeleceram classes de equivalência entre figuras abstratas e fotografias de faces expressando alegria, raiva e nojo. Em seguida, avaliaram algumas das figuras abstratas usando um instrumento de diferencial semântico. O mesmo instrumento foi utilizado na avaliação das faces e figuras pelos participantes do grupo controle, não treinados a estabelecer relações entre esses estímulos. Esses últimos participantes avaliaram as figuras como neutras e as avaliações que fizeram das faces corresponderam às avaliações das figuras equivalentes a elas feitas pelos participantes do grupo experimental. A comparação entre os valores atribuídos às faces e às figuras dá uma medida quantitativa do grau de relacionamento entre esses estímulos e essa medida pode ser usada no estudo de parâmetros da formação de classes como o número de nódulos.
Abstract: There are methodological difficulties to quantify the relatedness of equivalent stimuli. The purpose of this study was to create an instrument that could be helpful in this process. Two groups of college students took part in this study. The experimental group established equivalence classes comprised of abstract pictures and pictures of faces expressing anger, happiness and disgust. They then evaluated some of these pictures with a semantic differential. The control group used the same instrument in evaluating faces and figures, untrained in establishing relations between those stimuli. The control group assessed the figures as neutral and their assessment of the faces corresponded to that carried out by the participants of the experimental group – to them, the figures were equivalents to the faces. The comparison between the values attributed to the faces and figures provides a quantitative measurement of the degree of relatedness between those stimuli and that may be used to study parameters such as the number of nodes.
Keywords: Equivalência de estímulos
Transferência de função
Expressão facial
Figura abstrata
Relação de equivalência
Estudantes universitários
ISSN: 1678-7153
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_MedidaGrauRelacionamento.pdf337,6 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons