Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7832
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 3-May-2016
metadata.dc.creator: BRAGANÇA, Pedro Henryque Paes Loureiro de
metadata.dc.contributor.advisor1: CASTRO, Edna Maria Ramos de
Title: Vozes da resistência: narrativas da pública sobre os agentes e os conflitos nos projetos hidrelétricos do Tapajós
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citation: BRAGANÇA, Pedro Henryque Paes Loureiro de. Vozes da resistência: Narrativas da Pública sobre os agentes e os conflitos nos projetos hidrelétricos do Tapajós. 2016. 217 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2016. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
metadata.dc.description.resumo: O ecossistema da mídia brasileira é predominantemente formado por grupos organizados em oligopólios hegemônicos. Estes grupos também atuam como organizações jornalísticas que utilizam suas narrativas para construir percepções de mundo. Todavia a realidade amazônica apresentada é marcada por estereótipos e visões deturpadas sobre os povos da região. Este trabalho analisa os agentes e conflitos relacionados aos projetos hidrelétricos na bacia do rio Tapajós nas reportagem da Pública, agência de jornalismo investigativo, com o objetivo de compreender as diferenças em relação à imprensa tradicional na produção de sentidos sobre a Amazônia. Nas narrativas são identificados e contextualizados os conflitos e os agentes nesta relação de poder, onde a Pública subverte a lógica hegemônica e insere as “vozes de resistência” aos projetos hidrelétricos como protagonistas das reportagens. A própria Pública se coloca também como resistência no campo jornalístico, provocando uma discussão sobre como a regulação da mídia pode atuar para ampliar espaços e democratizar debates.
Abstract: The ecosystem of the Brazilian media is predominantly made up of groups organized in hegemonic oligopolies. These groups also act as news organizations that use their narratives to build the world’s perceptions. However the Amazon reality presented is marked by stereotypes and visions on misleading the people of the region. This paper analyzes the agents and conflicts related to hydroelectric projects in the Tapajós basin in the report Public, investigative journalism agency, in order to understand the differences in the traditional press in the production of meaning on the Amazon. The narratives are identified and contextualized conflicts and agents in this power relationship, where the Public subverts the hegemonic logic and inserts the "resistance voices" to hydroelectric projects as the protagonists of the stories. The very public also poses as resistance in the journalistic field, leading to a discussion on how media regulation can act to enlarge spaces and democratic debates.
Keywords: Comunicação de massa
Usinas hidrelétricas
Jornalismo
Narrativa (Retórica)
Região do Tapajós - PA
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO
CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Mestrado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_VozesResistenciaNarrativa.pdf55,58 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons