Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7860
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 19-Feb-2015
metadata.dc.creator: NUNES, Débora Aquino
metadata.dc.contributor.advisor1: TRINDADE JÚNIOR, Saint-Clair Cordeiro da
Title: Feiras-livres e feiras de exposição: expressões da relação cidade-floresta no sudeste paraense
Citation: NUNES, Débora Aquino. Feiras-livres e feiras de exposição: expressões da relação cidade-floresta no sudeste paraense. 2015. 254 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
metadata.dc.description.resumo: Tendo por base as teorias dos circuitos da economia urbana de Milton Santos e da vida cotidiana de Henri Lefèbvre, as reflexões deste trabalho vão ao encontro do tema “relação cidade-floresta na Amazônia oriental”. Analisar tal relação em face da atual dinâmica regional é o nosso principal objetivo. Nesse sentido, as feiras-livres e as feiras de exposição da cidade de Marabá aparecem como recortes empíricos analisados, sendo espaços de mudanças e de permanências da relação cidadefloresta na região do sudeste paraense. Para realização desta pesquisa lançamos mão dos seguintes procedimentos metodológicos: a) revisão bibliográfica teóricoconceitual de temas, teorias, conceitos e noções pertinentes à realização da pesquisa; b) revisão bibliográfica de caráter histórico-geográfico e levantamentos de dados secundários sobre o sudeste paraense, a cidade de Marabá e suas feiras-livres e feiras de exposição, e também a respeito das políticas públicas pertinentes a relação cidade-floresta; c) levantamento fotográfico nas feiras-livres e na feira de Exposição Agropecuária de Marabá (EXPOAMA); d) observação sistemática de campo sobre a interação cidade-floresta; e) realização de entrevistas individuais gravadas com questões semiestruturadas com técnicos, planejadores e representantes do poder público, ligados às políticas de planejamento e de gestão de Marabá; com os atuais e/ou antigos representantes das feiras-livres; com os representantes do Sindicato de Produtores Rurais de Marabá (SPRM) e da Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM); com os frequentadores das feiras; com principais feirantes e atravessadores das feiras-livres; e com representantes de empresas que participam da EXPOAMA; f) análise e sistematização dos dados coletados à luz do referencial teórico-conceitual previamente definido e revisado. A floresta no sudeste paraense é negada e também derrubada em prol da produção econômica e vida cotidiana capitalista, ganhando destaque as atividades de mineração e da agropecuária. O Estado produz e dá base para tal processo, que destrói traços do passado e constrói novas representações e práticas socioespaciais na região. Com isso, ganham destaque os espaços que estão inseridos e que reproduzem a lógica da modernidade e do capital, como as feiras de exposição. Estas estão orientadas pelo valor de troca e pela ausência da floresta, servindo de vitrines da cidade dentro do mercado nacional e internacional. Em Marabá, a modernidade, e junto com ela a negação da floresta, invade até mesmo os seus espaços de feiras-livres. Estas possuem um importante papel na reprodução de grupos sociais de menor poder econômico, e vêm sendo invadidas, cada vez mais, por produtos e lógicas distantes. Negligenciadas pelas ações e intervenções do poder público, as feiras-livres são tratadas no máximo de maneira setorial, ignorando as atividades agroextrativistas praticadas e possíveis na região. Dessa forma, em Marabá a floresta é negada na sua multidimensionalidade (econômica, ecológica, simbólica e lúdica), apresentando-se apenas de maneira residual.
Abstract: Based on theories of circuit of the urban economy of Milton Santos and of the everyday life of Henri Lefèbvre, the reflections of this study are in line with the theme: the relationship city-florest in the eastern Amazon. Analyze this relationship in the face of actual regional dynamics is our main goal. Thus, free fairs and exposition fairs in the city of Marabá appear as empirical clippings, because it are representatives spaces of changes and continuities of the city-forest relationship in southeastern paraense. For this, we used the following instruments: a) theoretical and conceptual bibliographic review of issues, theories, concepts and notions relevant to the search; b) bibliographic review of historical and geographical character and secondary data survey about southeastern paraense, city of Marabá and its free fairs and exposition fairs, and also about public policies relevant to relationship between city and forest; c) photographic survey in the free fairs and Agricultural Exposition Fair of Marabá (EXPOAMA); d) systematic observation field on the interaction city-forest; e) realization of individual interviews recorded with semi-structured questions applied in the technicians, planners and public officials linked to planning and management of Marabá; in the representatives of the free fairs; in the representatives of the Farmers Syndicate of Marabá (SPRM) and of the Commercial and Industrial Association of Marabá (ACIM); in the frequenters of fairs; in the workers of free fairs; and representatives of companies participants of the EXPOAMA; f) analysis and systematization of data collected on the theoretical-conceptual framework previously defined and reviewed. The forest is denied and removed in benefit of the economic production and capitalist everyday life in southeastern paraense. In this context, is highlighted the role of mining and agricultural activities. The state produces and provides the basis for this process, which destroys traces of the past and build new representations and socio-spatial relations in region. Thus, the spaces that gain prominence are insert in the logic of modernity, such the exposition fairs. That fairs are oriented by exchange value and by absence of the forest, serving as windows within the national and international market. The modernity in Marabá along with the negation of the forest invades even the spaces of free fairs. This fairs has an important role in the reproduction of social groups with lower purchasing power, and have been invaded, increasingly, by extra-regional products and distant logical. Neglected by the actions and interventions government, the free fairs are treat sectorally, ignoring the agro-extractive activities practiced and possible. Thus, in Marabá and its relationship with its surroundings, the forest is deny in its multidimensionality (economic, ecologic, symbolic and ludic).
Keywords: Feiras livres
Economia urbana
Feiras
Exposições
Feiras de exposição
Marabá - PA
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA::GEOGRAFIA HUMANA::GEOGRAFIA URBANA
CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Mestrado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_FeirasLivresFeiras.pdf10,83 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons