Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8386
Tipo: masterThesis
Título: Estratigrafia e evolução estrutural do segmento setentrional da faixa de desdobramentos Paraguai - Araguaia
Autor(es): ABREU, Francisco de Assis Matos de
Primeiro Orientador: HASUI, Yociteru
Resumo: A porção setentrional da Faixa de Dobramentos Paraguai-Araguaia encerra uma vasta porção do Précambriano da Plataforma Sul Americana. Aqui, estabeleceu-se uma cadeia montanhosa edificada no Ciclo Geotectônico Brasiliano, a partir de regeneração e evolução sedimentar, metamórfica, magmática, estrutural e orogênica à margem oriental do Craton Amazônico. As seqüências rochosas estão reunidas em uma única unidade estratigráfica, o Super Grupo Baixo Araguaia, dividido nos Grupos Estrondo (inferior) e Tocantins (superior). O Grupo Estrondo é composto pelas Formações Morro do Campo (inferior), litologicamente constituída por quartzitos e subordinadamente xistos e gnaisses, e Xambioá (superior), reunindo xistos diversos. O Grupo Tocantins é formado pelas Formações Couto Magalhães (inferior), representada por filitos e intercalações de quartzitos, e Pequizeiro (superior), constituída por orto e para-rochas magnesianas, formando uma seqüência vulcano-plutono-sedimentar. A esses dois Grupos associam-se rochas máfico-ultramáficas, rochas granit6ides e intrusivas graníticas de eventos pré, tardi e pós-tectónico, respectivamente. Uma seqüência sedimentar denominada Rio das Barreiras, representada por conglomerado polimítico com níveis de silti tos e arenitos finos e matriz carbonática, recobre discordantemente as seqüências anteriores podendo representar restos de uma seqüência final relacionada ao Ciclo Brasiliano. As estruturas primárias reconhecíveis são representadas pelo acamamento, estratificações cruzada, gradacional e paralela nos metassedimentos e por estruturas reliquiares em rochas ígneas. As tectógenas são representadas por estruturas planares e lineares de diversas gerações. A análise geométrica das estruturas tect6genas, mostrou padrões bem definidos dos vários tipos de feições. A xistosidade desenvolvida na área é plano-axial em relação a dobras intrafoliais e mostra regionalmente orientação submeridiana com mergulhos médios para este, traduzindo vergência para o Craton Amazõnico. O bandeamento mostrado pelos gnaisses coincide em postura com a xistosidade das rochas sobrejacentes nas megadobras. Das lineações destaca-se aquela dada por minerais e que estão presentes isorientadamente nos gnaisses e nos demais metamorfitos. Várias gerações de dobras estão presentes em escala centimétrica a decaquilométrica. São representadas por: a) dobras intrafoliais contemporâneas ao metamorfismo regional, anisópacas de ápices espessados, desenvolvidas no nível estrutural inferior; b) dobras desenhadas pela xistosidade, anis6pacas com desenvolvimento também compatíveis com o nível estrutural inferior; c) dobras de crenulação resultado da incidência de fraturamento e desenvolvidas nas seqüência mais plásticas no topo do nível estrutural inferior; d) dobras isoladas, resultado de dobramento descontínuo e flexural são representadas pela megadobras de Colméia, Xambioá, Lontra, etc., desenvolvidas no nível estrutural médio; e) dobras suaves e cruzadas de duas gerações associadas à zona do Lineamento Iriri-Martírios. Fraturas e falhas se desenvolvem conforme sistemas N-S e NW-SE principalmente, seccionando todas as litologias presentes. Algumas estruturas, devido ao porte que têm, destacam se como feições marcantes dentro da faixa, a exemplo da Geossutura Tocantins-Araguaia, Lineamento Iriri-Martirios e Falha de Empurrão de Tucuruí. O metamorfismo varia progressivamente de condições anquimetamórficas a oeste até fácies anfibolito a este. Para o magmatismo foram caracterizados três eventos a saber: a) magmatismo básico-ultrabásico anterior ao metamorfismo regional; b) intrusões granit6ides tardi-tectônicas; c) intrusões graníticas pós-tectônicas. Os resultados geocronológicos até agora conhecidos pelo método K-Ar para as rochas da faixa de dobramentos, indicam valores compatíveis com o Ciclo Brasileiro para a edificação desta entidade geotectônica. Idades das rochas gnaíssicas do núcleo da estrutura de Colméia indicaram valores compatíveis com o Ciclo Transamazônico. A evolução geológica pode ser sumarizada em três etapas: a) etapa inicial, envolvendo a sedimentação advinda em conseqüência da regeneração implantada na porção marginal do craton, possibilitando a acumulação de uma sedimentação psamo-pelítica do Grupo Estrondo e pelito-psamítica da Formação Couto Magalhães. A Formação Pequizeiro se constituiu em seguida, relacionada com o magmatismo máfico-ultramáfico pré-tectõnico, que incidiu com maior potência na zona próxima ao Craton Amazônico. b) etapa intermediária,envolvendo as deformações superpostas agrupadas em fases distintas, bem como metamorfismo, magmatismo e ascensão orogênica. 1.) Fase F1 de deformação e Metamorfismo Regional envolvendo a formação de dobras desenhadas pela estratificação So, intensa transposição e metamorfismo progressivo com zonas mineralógicas sucessivas de sericita à granada. 2) Fase F2 de deformação desenvolvendo dobras desenhadas pela xistosidade e forte lineação mineral L2. 3) Fase F3 crenulação, com desenvolvimento de dobras de crenulação e transposição da xistosidade. 4) Fase F4, migmatização e intrusão de granitos geração das megadobras e colocação de corpos graníticos tardi-tectônicos. 5) Fase F5, dobramentos suaves associados a deslocamentos ao longo do lineamento Iriri-Martírios. c) etapa final (estágio de transição) - desenvolve-se a Formação Rio das Barreiras, dão-se deformações finais, com movimentos de falha e formação de juntas, e o magmatismo ácido pós-tectonico. Em tempos fanerozóicos, com a estabilização da Plataforma Sul-Americana, processos tectônicos, magmáticos e sedimentares afetaram a área.
Abstract: The northern part of the Paraguai-Araguaia orogenic belt comprises a significant portion of the South American Platform. Here, the Brazilian geotectonic cycle (550-900 m.y), produced a mountain chain through a complex sequence of sedimentary metamorphic, magmatic, and structural events along the eastern margin of the Amazon craton. The lithologic sequence is designated stratigraphically as the Baixo Araguaia Supergroup which comprises the Estrondo Group and the overlying Tocantins Group. The basal formation in the Estrondo Group is the Morro do Campo Formation which consists of quartzites and subordinate schists and gneisses. The Xambioá overlies the Morro do Campo and includes several kinds of schists. The Tocantins Group is formed by Couto Magalhães Formation, represented by phyllites and intercalated quartzites and the overlying Pequizeiro Formation consiwts of pelitic sediments and Mg-rich igneous derivatives. The Estrondo and the Tocantins groups are intruded by ultramafic, mafic, and granitic rocks that are associated with late and post-tectonic igneous events. The Rio das Barreiras Formation, a sedimentary sequence represented by a polymictic conglomerate with carbonate matrix and sandy and silty interlayers, unconformably overlies the Pequizeiro Formation and may represent erosional remnants of a final phase of the Brazilian cycle. Primary lithologic structures in Baixo Araguaia Su pergroup are preserved as relict compositional stratification, inclined, parallel, and graded bedding in metasediments, and flow structures in the igneous rocks. Superposed penetrative planar and linear deformation structures are present in several generations. The regional N-S striking schistosity is of axial-plane type and is related to the intrafolial folds, with an easterly dip getting vergence to Amazon craton. The regional dip is 309 and decreases to abaut 159 adjacent to the Amazon craton. Gneissic banding parallels schistosity of overlying schists in the larger folds and they share a common mineral lineation. Polyphase deformation is recorded by a fold sequence which varies in scale from 1 cm to 30 km and is related to the differents structural levels within the crust. The lower structural level includes: a) similar-type intrafolial isoclinal folds which are contemporaneous with regional metamorphism; b) similar tight folds which involve the s.chistosity and transposed bedding; c) shear folds of crenulation developed near to the top of the level in the more plastic horizons. The intermediate level comprises; d) isolated regional flexures near the localities of Colméia, Xambioà-, Lontra, Muricizal; e) two generations of open and cross folds associated with the Iriri-Martírios lineament zone. N-S and NW-SE fracture and fault systems cut ali stratigraphi.c units of the Baixo Araguaia Supergroup. The faults consist of: 1) NW treding transcurrent fault with strike iengths of severa]. Kilometers; 2) thrust faults with N-S- strike such as those near Andorinhas and Muricizal mountains; 3) N-S striking normal faults developed at the edge of the Parnaíba basin and elsewhere. The mapped facies sequence ranges from incipient greenschist facies in the west to amphibolite facies in the east implying an Bastward increase in metamorphic grade. Sericite to garnet isograds are discernibles. Three magmatic events are distinguished. They comprises: a) pre-tectonic basic and ultrabasic plutonic-volcanic magmatism; b) late-tectonic granitic intrusion; c) post- tectonic unfoliated granitic intrusions. Eleven K-Ar mica dates from gneisses and schists of the orogenic belt yield values in the range of 516 ± 10 m.y to 358 ± 19 m.y. (Brazilian Cycle). Five Rb/Sr determinations from the gneissic core of the Colméia fold gives values around 2,000 m.y (Amazonic cycle). The geologic evolution of the northern Paraguai-Araguaia orogenic belt consists of three sequential stages: I) deposition of psammitic and pelitic sediments comprising the Estrondo and lower Tocantins Groups. Basic and ultrabasic igneous activity in late Tocantins time result in the deposition of mixture of pelitic sediments and Mg-rich igneous material which comprise the Pequizeiro Formation. II) polyphase deformation, metamorphism, magmatism, and orogenic uplift followed. These events are subdivided as follows: 1) F1 - deformation and regional metamorphism (Ma) in which So (original bedding) was transposed by isoclinal folding to S1 (regional schistosity) and progressive metamorphism produced sericite and garnet map zunes; 2) F2 - deformation produced tight folds in the schistosity (S1) resulting an axial plane surface (S2); well-marked mineral lineation (L2); 3) F3 deformation developed crenulation folds and a second phase of transposition (S3); e) F4 - deformation produced large folds accopanied by migmatization and late-tectonic granitic intrusions; 5) F5 - deformation formed small-scale plastic folds in cataclastic zones along the Iriri-Martírios lineament. III) The post-metamorphic Rio das Barreiras Formation was then deposited unconformably over this structural sequente and the final deformation event produced fault movements (transcurrent, thrust and normal), established joints, and permitted the rise of post-tectonic granitic plutons. This stage marks a transition from an environment of compressional stress to one of tensional stress on the regional scale. Subsequent to stageIII, consolidation of the South American platform occurred. Related erosional, sedimentary, magmatic, and'tectonic processes affedted this ares at numerous times throughout post-Brazilian cycle time.
Agência de fomento: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Palavras-chave: Geologia estratigráfica
Geologia estrutural
Evolução estrutural
Cráton Amazônico
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Centro de Geociências
Programa: Curso de Pós-Graduação em Ciências Geofísicas e Geológicas
Citação: ABREU, Francisco de Assis Matos de. Estratigrafia e evolução estrutural do segmento setentrional da faixa de desdobramentos Paraguai - Araguaia. 1979. 90 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Centro de Geociências, Belém, 1979. Programa de Pós-Graduação em Ciências Geofísicas e Geológicas.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8386
Data do documento: 13-Jun-1979
Aparece nas coleções:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_EstratigrafiaEvolucaoEstrutural.pdf51,77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons