Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8497
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 16-Jun-2015
metadata.dc.creator: SOLIMÕES, Andréa Cristina Cunha
metadata.dc.contributor.advisor1: MAUÉS, Olgaíses Cabral
Title: Impactos da precarização do trabalho dobre a saúde das docentes da Educação infantil
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação desenvolve uma análise crítica sobre as condições de trabalho na educação infantil a fim de estabelecer possíveis relações com o processo de adoecimento que vem atingindo os docentes nas últimas décadas. A análise das condições de trabalho dos docentes que atuam nessa etapa da educação básica, tomando como referência a rede municipal de ensino de Belém, capital paraense, exigiu um aprofundamento teórico sobre o tema e sua relação com as transformações no mundo do trabalho, diante da qual a escolha do método de pesquisa baseou-se no materialismo histórico e dialético, entendendo-o tanto como método, como uma concepção de mundo. A partir do estudo exploratório algumas categorias orientaram as análises, tais como: condições de trabalho, com base em Oliveira e Assunção (2010) e Hypolito (2010); precarização, a partir da compreensão de Marin (2010); intensificação, com base nas análises de Dal Rosso (2008); mal-estar, segundo Martinez (2010) e Codo (2010); adoecimento, conforme a abordagem de Assunção (2010); e subjetividade, com base nos estudos de Alves (2008, 2010, 2011) e Mancebo (2010). Gama (2014), Hey e Catani (2010), Carrasco e Petit (2012) e Yanoullas (2013), ao estabelecerem a relação entre produção/reprodução do capital e o papel da mulher neste contexto, ajudam a localizar as atividades de educação e cuidado no contexto da sociedade capitalista. Marx (1978, 1988, 2008), Engels (2012), Antunes (2000, 2001, 2005, 2009, 2011, 2013) e Harvey (2011, 2012) auxiliaram na compreensão quanto aos impactos do processo de precarização do trabalho, especialmente sobre as trabalhadoras. Enquanto espaço de reprodução do sistema capitalista, as bases em que se sustentam as políticas voltadas à criança em idade pré-escolar respondem a uma demanda que busca na educação as condições necessárias à manutenção do sistema e possuem desdobramentos nas condições objetivas e a subjetividade docente, conforme apontam Shiroma (2011), Shiroma e Schneider (2011), Shiroma e Santos (2014) e Mancebo (2010), entre outros. Revisitando de forma analítico-crítica os dados da pesquisa Trabalho Docente na Educação Básica no Pará (2010), constata-se que os docentes da educação infantil vêm vivenciando um forte processo de precarização e intensificação do trabalho, comprometendo o tempo livre dessas docentes, pois são em sua maioria mulheres, que historicamente tem respondido pelas atividades de cuidado e manutenção do lar. As análises realizadas corroboram com Esteve (1999) indicando que, somadas às condições objetivas como fatores relativos à própria ação do professor, há fatores contextuais que agem indiretamente sobre o trabalho e afetam sua saúde. Os dados permitem que se infira que, diante do acúmulo de exigências que pesa sobre o docente, o absenteísmo surge como uma forma de resistência à tensão gerada no ambiente de trabalho, gerando um mal-estar que pode resultar em um quadro de adoecimento tanto físico quanto psíquico. O trabalho finaliza apontando como saída para a problemática o rompimento com o silêncio, e o empenhar-se em descortinar o conteúdo ideológico que há por trás da retórica do Estado, com vistas à construção de outra sociedade, pois não há saída por dentro do capitalismo. Este é impossível de humanizar-se.
Abstract: This paper develops a critical analysis of working conditions in early childhood education in order to establish possible relationships with illness process that has been reaching teachers in recent decades. The analysis of the working conditions of teachers working in this stage of basic education, with reference to the municipal schools of Belém, the state capital, demanded a theoretical study on the subject and its relation to the changes in the labor world. The option on the research method is based on historical and dialectical materialism, understood as much as a method, as a world vision. From the exploratory study some categories guided the analysis, such as working conditions, based on Oliveira and Assunção (2010) and Hypolito (2010); precariousness, from the understanding of Marin (2010); intensification, based on the analysis Dal Rosso (2008); malaise, according to Martinez (2010) and Codo (2010); sicken according to Assunção (2010); and subjectivity, on the basis of Alves of studies (2008, 2010, 2011) and Mancebo (2010). Gama (2014), Hey and Catani (2010), Carrasco and Petit (2012) and Yanoullas (2013), doing the connection between production/reproduction of capital and the role of women in this context, they collaborate to locate the educational activities and of care in the context of capitalist society. Marx (1978, 1988, 2008), Engels (2012), Antunes (2000, 2001, 2005, 2009, 2011, 2013) and Harvey (2011, 2012) they helped in understanding about the impacts of work precariousness process, especially on the woman working. While of capitalist reproduction space, policies aimed at age children preschool seek to meet a standards they see the in education right conditions for maintaining the system resulting in repercussions on the objective conditions and subjectivity of teachers, as Shiroma indicates (2011), Shiroma and Schneider (2011), Shiroma and Santos (2014) and Mancebo (2010), among others. Revisiting of form analytical-critical data collected by the survey "Work Teaching in Basic Education in Pará" (2010) we found the result that teachers of early childhood education have been experiencing a strong process of casualization and intensification of work, compromising the free time of workers, which are mostly women, who historically has responded by care and home maintenance activities. The analyzes corroborate with analysis of Esteve (1999) indicating that, together with the objective conditions as factors related to the teacher's own action, there contextual factors that act indirectly on labor and lead to impacts negative health of teachers. The data allow us to infer that, against accumulation of tasks that weighs on teachers, the absence from work emerges as a form of resistance to tension generated in own the workplace, generating a malaise that can result in both illness both physical as psychic. The work ends pointing as solution to the problem break with silence, revealing the ideological content that is behind the State's rhetoric seeking, towards the construction of another society because there is no way humanization within capitalism. Capitalism is impossible to humanize themselves.
Keywords: Educação infantil
Políticas públicas educacionais
Docente - Saúde
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências da Educação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Educação (Mestrado) - PPGED/ICED

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_ImpactosPrecarizacaoTrabalho.pdf1,87 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons