Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9119
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 2012
metadata.dc.creator: SANTOS, Josie Eiras Bisi dos
metadata.dc.contributor.advisor1: BRITO, Arival Cardoso de
Title: Prevalência das dermatoses infecciosas e correlação com o estado imunológico de pacientes com HIV atendidos em Centro de Referência em Belém – Pará, Brasil
Citation: SANTOS, Josie Eiras Bisi dos. Prevalência das dermatoses infecciosas e correlação com o estado imunológico de pacientes com HIV atendidos em Centro de Referência em Belém – Pará, Brasil. 2012. 65 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: Desordens cutâneas afetam cerca de 90% dos pacientes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) em algum momento da evolução de sua doença. As manifestações dermatológicas são amplas e incluem infecções virais, bacterianas e fúngicas e doenças inflamatórias não infecciosas. Algumas destas patologias cutâneas são consideradas marcadores da infecção pelo HIV e da síndrome da imunodeficiência humana (AIDS), pois refletem o atual estado imunológico do paciente, devido a ocorrência mais prevalente em doentes com baixa contagem sérica de células CD4. Mesmo diante da evolução tecnológica dos métodos laboratoriais, os sinais dermatológicos ainda são um índice básico da presença e do curso clínico da infecção pelo HIV. O presente estudo tem como objetivo estimar a prevalência de doenças cutâneas de etiologia infecciosa nos pacientes com HIV atendidos na Unidade de Referência Especializada em Doenças Infecciosas e Parasitárias Especiais, em Belém-Pará, Brasil, no período de março de 2011 a outubro de 2011. Realizou-se um estudo transversal através da avaliação clínica e laboratorial de 210 pacientes com HIV. Exames sorológicos, citológicos, micológico direto e biópsia de pele com exame histopatológico foram realizados de acordo com a necessidade. A prevalência geral de dermatoses foi de 49%. As doenças dermatológicas identificadas foram micoses superficiais, onicomicose, escabiose, verrugas virais, infecções bacterianas, verrugas genitais, candidíase, herpes simples, herpes zoster, hanseníase, sífilis, sarcoma de Kaposi e histoplasmose cutânea disseminada. A mediana da contagem de células CD4 nos doentes com dermatoses infecciosas foi de 298 células/mm3, valor significativamente menor (p=0.0158*) comparado à mediana dos pacientes sem dermatoses infecciosas (384 células/mm3). A mediana da relação CD4/CD8 nos doentes com doença cutânea infecciosa foi de 0,30, valor significativamente menor (p=0.0138*) comparado à mediana dos pacientes sem doença cutânea infecciosa (0,41). A mediana da carga viral nos doentes com dermatoses infecciosas foi de 173 cópias/mm3 e naqueles sem doença de pele infecciosa foi de 25 cópias/mm3, não havendo real diferença entre os grupos (p=0.0741). A ocorrência de doenças cutâneas infecciosas conforme a contagem de células CD4 mostrou que existe significativa associação entre verrugas virais e herpes simples com a contagem de células CD4 menor que 350 células/mm3 (p=0.0182* e p=0.0428*, respectivamente). A variação da prevalência de dermatoses infecciosas conforme o tempo de uso da terapia antirretroviral (TARV) mostrou que somente as micoses superficiais apresentaram significativo aumento da prevalência quando comparados aos pacientes que não realizavam TARV. Na literatura, os estudos de prevalência oscilam muito entre os serviços devido o tipo e local da amostra selecionada. Os resultados obtidos neste trabalho caracterizam os pacientes oriundos do Estado do Pará, Brasil, por vezes concordando com as informações contidas em outros estudos de prevalência na literatura mundial.
Abstract: Skin disorders affect about 90% of patients infected with human immunodeficiency virus (HIV) in some stage of their disease. The skin manifestations are broad and include viral, bacterial and fungal infections and noninfectious inflammatory diseases. Some of these skin conditions are considered markers of HIV infection and acquired immunodeficiency syndrome (AIDS), they reflect the current state of the patient's immune, due to the occurrence more prevalent in patients with low CD4 cell count serum. Even with the technological evolution of laboratory methods, dermatological signs are still a basic index of the presence and the clinical course of HIV infection. The present study aims to assess the prevalence of skin diseases of infectious etiology in patients with HIV assisted in the Specialized Reference Unit in Special Infectious and Parasitic Diseases in Belém-Pará, Brazil, from March 2011 to October 2011. We conducted a cross-sectional study by clinical and laboratory evaluation of 210 patients with HIV. Serology, cytologic, mycological and skin biopsy with histopathologic examination were performed according to need. The overall prevalence of skin diseases was 49% Dermatological diseases identified were superficial mycoses, onychomycosis, scabies, viral warts, bacterial infections, genital warts, candidiasis, herpes simplex, herpes zoster, leprosy, syphilis, Kaposi's sarcoma and disseminated histoplasmosis skin. The median CD4 cell count in patients with infectious dermatoses was 298 cells/mm3, significantly lower (p=0.0158 *) compared to the median of the patients without infectious dermatoses (384 cells/mm3). The median CD4/CD8 ratio in patients with infectious skin disease was 0.30, significantly lower (p=0.0138 *) compared to the median of the patients without infectious skin disease (0.41). The median viral load in patients with infectious dermatoses was 173 cópias/mm3 and those without infectious skin disease was 25 cópias/mm3, there is no real difference between the groups (p=0.0741). The occurrence of infectious skin diseases according to CD4 cell count showed that there is significant association between viral warts and herpes simplex virus with the CD4 cell count below 350 cells/mm3 (p= 0.0182* and p=0.0428*, respectively). The variation in the prevalence of infectious dermatoses as time of use of antiretroviral therapy (HAART) showed that only superficial mycoses showed a significant increase in the prevalence when compared to patients who did not perform HAART. In the literature, studies of prevalence vary widely between services due to the type and location of the selected sample. The results found in this study characterize patients from the State of Pará, Brazil, sometimes agreeing with the information contained in other prevalence studies in the literature.
Keywords: Doenças da pele
Dermatoses infecciosas
AIDS (Doença)
Dermatomicose
HIV (Vírus)
Belém - PA
Pará - Estado
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DERMATOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_PrevalenciaDermatosesInfecciosas.pdf535,36 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons