Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9129
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 15-Dec-2016
metadata.dc.creator: FERREIRA, Patrícia
metadata.dc.contributor.advisor1: MARTINS, Luisa Caricio
Title: Prevalência e fatores de risco associados à infecção pelo vírus da Hepatite E em duas comunidades ribeirinhas do estado do Pará, Norte do Brasil
Citation: FERREIRA, Patrícia. Prevalência e fatores de risco associados à infecção pelo vírus da hepatite e em duas comunidades ribeirinhas do estado do Pará, Norte do Brasil. 2016. 59 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2016. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: A infecção pelo vírus da hepatite E (HEV) é um importante problema de saúde pública em muitos países em desenvolvimento e também é endêmica em alguns países industrializados. A hepatite E é de transmissão fecal-oral, o que favorece a disseminação da infecção nos países em desenvolvimento onde a contaminação dos reservatórios de água mantém a cadeia de transmissão da doença. Os ribeirinhos vivem em pequenas comunidades em sua maioria à beira dos rios, dos igarapés, dos igapós e dos lagos. O saneamento deficiente e a falta de acesso à água potável nessas comunidades, geralmente levam às infecções entéricas na primeira infância e a baixa escolaridade e o acesso deficiente aos serviços de saúde podem expor ainda mais essa população a diversas doenças. Este estudo objetivou determinar a soroprevalência do HEV em duas comunidades ribeirinhas do Estado do Pará, traçando o perfil sócio epidemiológico, comparando a soroprevalência entre as comunidades e descrevendo os principais fatores de risco para a aquisição da infecção viral. O estudo foi desenvolvido em comunidades ribeirinhas distintas nas proximidades do município de Belém: Comunidade Furo do Maracujá, localizada no município de Acará e Comunidade Furo do Nazário, localizada no município de Barcarena. Foram coletadas 414 amostras e realizado teste imunoenzimático (ELISA), para detecção de anticorpos Anti-HEV. A prevalência do Anti HEV foi de 3% (13/414) nestas populações. Não se constatou associação de prevalência de marcadores da hepatite E com idade, gênero, escolaridade e renda familiar, contudo o saneamento básico precário em ambas as comunidades favorece a aquisição de infecção pelo HEV. A soroprevalência de hepatite E, neste estudo, foi semelhante às taxas encontradas em outras regiões do Brasil. Porém, a distribuição da infecção pode variar dentro do país e até dentro das próprias regiões, dependendo dos fatores de risco a que as comunidades se encontram expostas.
Abstract: Hepatitis E virus (HEV) infection is a major public health problem in many developing countries and is also endemic in some industrialized countries. Hepatitis E is fecal-oral transmission, which favors the spread of infection in developing countries where contamination of water reservoirs keeps the chain of transmission of the disease. The riverside dwellers live in small communities mostly on the banks of rivers, streams, igapós and lakes. Poor sanitation and lack of access to safe drinking water in these communities often lead to enteric infections in early childhood, and poor schooling and poor access to health services can further expose this population to various diseases. This study aimed to determine the HEV seroprevalence in two riverside communities in the State of Pará, outlining the socio-epidemiological profile, comparing seroprevalence among communities and describing the main risk factors for the acquisition of viral infection. The study was developed in distinct riverside communities near the municipality of Belém: Furo do Maracujá Community, located in the municipality of Acará and Furo do Nazário, located in the municipality of Barcarena. A total of 414 samples were collected and an enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) was performed for the detection of Anti-HEV antibodies. The prevalence of Anti HEV was 3% (13/414) in these populations. There was no association between the prevalence of hepatitis E markers with age, gender, schooling and family income, however, precarious basic sanitation in both communities favors the acquisition of HEV infection. The seroprevalence of hepatitis E in this study was similar to the rates found in other regions of Brazil. However, the distribution of infection may vary within the country and even within the regions themselves, depending on the risk factors to which the communities are exposed.
Keywords: Doença infecciosa
Epidemiologia
Hepatite viral E
Ribeirinhos
Soroprevalência
Ribeirinhos
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_PrevalenciaFatoresRisco.pdf1,22 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons