Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9132
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 8-Nov-2011
metadata.dc.creator: FRAZÃO, Rogério Augusto Mendes
metadata.dc.contributor.advisor1: XAVIER, Marília Brasil
Title: Avaliação do grau de melhora da força de preensão palmar, por meio do dinamômetro Jamar®, em pacientes em tratamento para neuríte hansênica nos membros superiores
Citation: FRAZÃO, Rogério Augusto Mendes. Avaliação do grau de melhora da força de preensão palmar, por meio do dinamômetro Jamar®, em pacientes em tratamento para neuríte hansênica nos membros superiores. 2011. 79 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: A hanseníase é uma doença que provoca grande impacto social pelas sequelas decorrentes do dano neural, gerando um contingente da população com deformidades e incapazes de realizar atividade da vida diária e laboral. Com o objetivo de avaliar o grau de melhora da força de preensão palmar (FPP), por meio do dínamômetro JAMAR®, em pacientes com neuríte hansênica sob uso de corticóide, realizou-se um estudo tipo série de casos, constituído de uma amostra obtida por conveniência de 20 pacientes portadores de neuríte hansênica aguda, atendidos e acompanhados no ambulatório do Núcleo de Medicina Tropical (NMT) da Universidade Federal do Pará, onde a primeira aferição foi realizada no dia do diagnóstico e início do tratamento para neuríte e a segunda aferição trinta dias após a primeira avaliação. A neurite ulnar foi predominante e valores da FPP na mão não dominante apresentaram a média de 20,25 ± 13,16 kgf. e 18,50 ± 11,70 kgf. na primeira e segunda aferição respectivamente. Nos pacientes hansênicos com neuríte, a FPP apresentou-se diminuída em relação aos valores médios da população (no sexo masculino obteve 79,86% e 86% dos valores de referência, na mão dominante e não dominante respectivamente. No sexo feminino os valores 53,49% e 65,05% na mão dominante e não dominante respectivamente). Com relação à reação hansênica, observou-se que a na reação hansênica tipo I obteve-se valores de força de 27,40 ± 9,57 kgf. na mão dominante e 32,40 ± 8,21 kgf. na mão não dominante na primeira aferição. Na segunda aferição registraram-se valores médios de 30,90 ± 12,90 kgf. na mão dominante e 34,00 ± 9,29 kgf. na mão não dominante. A reação hansênica tipo II apresentou-se com valores de força de preensão palmar menores, embora não significativos (p≥0,06). Os pacientes que apresentaram melhora do quadro neurítico, expresso pela regressão da dor apresentaram aumento significativo da força de preensão palmar na mão dominante (p<0,02) Desta forma conclui-se que a FPP pode colaborar no acompanhamento de pacientes com neuríte hansênica sob uso de corticóides, porém novos estudos devem ser realizados para obtenção de informações que auxilie seu uso.
Abstract: Leprosy is a disease that causes important social consequences for resulting from nerve damage, leading a contingent of people with deformities and unable to perform activities of daily life and work. In order to assess the degree of improvement in hands force (FPP) using the JAMAR ® dynamometer in patients with leprous neuritis in the use of corticosteroids, there was designed a case series study, consisting of a sample obtained for convenience of 20 patients with acute leprous neuritis, treated as outpatients and the Center for Tropical Medicine (NMT), Federal University of Pará, where the first measurement was performed the day of diagnosis and early treatment for neuritis and the second measurement thirty days after the first evaluation. The ulnar neuritis was prevalent and the FPP values in non-dominant hand had an average of 20.25 ± 13.16 kgf. And 18.50 ± 11.70 kgf. in the first and second measurement respectively. In leprosy patients with neuritis, FPP was reduced compared to the average population (in males obtained 79.86% and 86% of the reference values, the dominant and nondominant hands respectively. In females the values 53.49% and 65.05% in the dominant and nondominant hand, respectively). With respect to leprosy reaction, it was observed that the type I leprosy reaction was obtained force values of 27.40 ± 9.57 kgf. in the dominant hand and 32.40 ± 8.21 kgf. in the non-dominant hand in the first measurement. In the second measurement were recorded average values of 30.90 ± 12.90 kgf. in the dominant hand and 34.00 ± 9.29 kgf. in the non-dominant hand. The type II leprosy reaction presented with values lower grip strength, although not significant (p ≥ 0.06). Patients who had an improvement in neuritic expressed by the regression of pain showed a significant increase in grip strength in dominant hand (p <0.02) Thus we conclude that the PPF can collaborate in the monitoring of patients with leprous neuritis in use of corticosteroids, but further studies should be conducted to obtain information to assist its use.
Keywords: Doença infectocontagiosa
Hanseníase
Preensão palmar
Corticóide
Neuríte hansênica
Corticoterapia
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::NEUROLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_AvaliacaoGrauMelhora.pdf1,03 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons