Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9202
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 2009
metadata.dc.creator: UNGER, Deborah Aben-Athar
metadata.dc.contributor.advisor1: BRITO, Arival Cardoso de
Title: Imunoexpressão para CD1a em lesões cutâneas na doença de Jorge Lobo
Citation: UNGER, Deborah Aben-Athar. Imunoexpressão para CD1a em lesões cutâneas na doença de Jorge Lobo. 2009. 62 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2009. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: A Doença de Jorge Lobo (DJL) é uma micose crônica causada pelo fungo Lacazia loboi, descrita em vários países da América do Sul, sendo que na Amazônia brasileira é se que se concentra o maior número de casos. A apresentação clínica mais comum é a de lesão queloidiana, localizada principalmente nos membros inferiores em homens que exercem atividade agrícola. O fungo pode ser identificado pelo exame micológico direto e anatomopatológico. O principal objetivo deste trabalho foi investigar o possível papel das células de Langerhans (CL) na patogênese da doença, em amostras de tecido de lesões cutâneas, usando técnica imuno-histoquímica. Foram selecionados trinta e três prontuários com os respectivos blocos parafinados das biópsias de pele de pacientes com DJL, (grupo 1 ) registrados no serviço de dermatologia da Universidade Federal do Pará no período de 1955 a 2005. O grupo controle foi composto de 10 blocos parafinados de pele sem doença dermatológica (grupo 2 ) e 42 blocos de portadores de paracoccidioidomicose(PCM) (grupo 3). Na análise dos prontuários dos pacientes, foram coletados dados em relação à idade, sexo, procedência, profissão, localização e tipo clínico das lesões . As células de Langerhans foram identificadas por imuno-histoquímica utilizando anticorpo anti-CD1a (Serotec). Os pacientes eram em sua maioria homens (84, 8%), lavradores (72, 7%) com faixa etária entre 46-65 anos, com predominância de lesões queloidianas (81, 8%), nos membros inferiores (45, 5%). O número de células positivas foi analisada estatisticamente. As CL foram visualizadas ao longo da epiderme em todas as biópsias da DJL. A morfologia e o número de células, não diferiram em relação à pele normal (p>0, 05), e encontravam-se aumentadas quando comparadas com as de portadores de PCM (p<0, 05). As células de Langerhans estavam presentes nas lesões cutâneas da DJL e na pele sem doença dermatológica de maneira similar, não sofrendo alterações numéricas ou morfológicas, diferentemente do que ocorreu na PCM. Estes resultados sugerem que na DJL os fungos provavelmente apresentam algum mecanismo escapatório, que os livram da apresentação de antígenos pelas células de Langerhans.
Abstract: Jorge Lobo’s disease (DJL) is a chronic infection caused by the fungus Lacazia loboi, endemic in South America, especially in the Brazilian Amazon region. The most common clinical presentation is parakeloidal lesion located mainly in the lower limbs in men who practice agricultural activity. The fungus can be identified by both mycological and anatomopathological examination. The main objective of this study was to investigate the possible role of Langerhans' cells (LC) in the pathogenesis of the disease in tissue samples from skin lesions, using immunohistochemical technique. Thirty-three medical records were selected with their respective paraffin blocks of skin biopsies from patients with DJL (group 1) registered in the dermatology service at the Federal University of Para in the period from 1955 to 2005. The control group consisted of 10 paraffin blocks from normal skin (group 2) and 42 blocks from patients with paracoccidioidomycosis (PCM) (Group 3). In the analysis of patient medical records data were collected regarding age, sex, origin, profession, location and clinical type of the lesions. Langerhans cells were identified by immunohistochemistry using anti-CD1a antibody (Serotec). Patients were mostly men (84, 8%), farmers (72. 7%) aged between 46-65 years, with predominance of parakeloidal lesions (81. 8%) in the lower limbs (45. 5%). The number of positive cells was statistically analyzed. The LC were visualized along the epidermis in all biopsies from Jorge Lobo's disease. The morphology and the number of cells, did not differ from normal skin (p> 0. 05), and was increased when compared to the PCM lesions (p <0. 05). Langerhans cells were present in Jorge Lobo’s disease skin lesions similarly to the way they are in normal skin, not suffering any numerical or morphological alterations, unlike what occurred in PCM. These results suggest that in DJL fungi probably present some escape mechanism of the local immune system to evade the antigen presentation by Langerhans’ cells.
Keywords: Doenças dermatológicas
Imunologia
Lobomicose
Doença de Jorge Lobo
Micose
Células dendríticas
Lacazia loboi
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DERMATOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MICROBIOLOGIA::BIOLOGIA E FISIOLOGIA DOS MICROORGANISMOS::MICOLOGIA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_ImunoexpressaoCD1aLesoes.pdf5,26 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons