Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9214
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 2015
metadata.dc.creator: MACEDO, Geraldo Mariano Moraes de
metadata.dc.contributor.advisor1: XAVIER, Marília Brasil
Title: Distribuição espacial e evolução temporal da hanseníase em um município hiperendêmico no estado do Pará
Citation: MACEDO, Geraldo Mariano Moraes de. Distribuição espacial e evolução temporal da hanseníase em um município hiperendêmico no estado do Pará. 2015. 84 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: A hanseníase é uma doença crônica, que representa um grave problema de saúde pública no Brasil. Manifesta-se por sinais e sintomas dermatoneurológicos. Tendo em vista, o contexto de hiperendemicidade da hanseníase encontrado no estado do Pará, é necessário utilizar ferramentas que permitam formular intervenções na cadeia de transmissão da doença de forma mais efetiva. O objetivo foi identificar o padrão de distribuição espacial e evolução temporal da hanseníase, levando em consideração aspectos clínicos, demográficos e territoriais, em um município hiperendêmico no estado do Pará, no período de 2003 a 2013. Estudo ecológico, coletivo, observacional e retrospectivo no Município de Igarapé-Açu, no estado do Pará. Os dados foram coletados a partir da detecção de casos novos disponíveis no SINAN e arquivos de serviço de saúde locais, que foram posteriormente georreferenciados para análises de geoestatística. Foram notificados 226 casos, com uma discreta tendência crescente do gênero masculino a partir de 2009, com a idade predominante entre 15 e 60 anos. O coeficiente de detecção geral de casos novos da hanseníase apresentou redução em escala nacional, regional, estadual e até municipal. A análise de tendência, com a estimativa para 2020, demonstrou o município de Igarapé-Açu irá superar a região Norte. Com relação às características clínicas evidenciou-se uma predominância da forma dimorfa. A forma multibacilar apontou uma chance de ocorrer de aproximadamente 2 vezes maior nos homens. A forma clínica inderterminada foi predominante nos menores de 15 anos. Houve predomínio do grau zero de incapacidade, porém o grau II de incapacidade ainda esteve além do preconizado pelo Ministério da Saúde, tendo-se o gênero masculino com uma chance de aproximadamente 3 vezes mais chance de evoluir com o grau II de incapacidade. Houve alta por cura na maioria dos casos, entretanto com uma tendência na sua redução e um aumento nos abandonos e transferência. O mapa de distribuição espacial dos casos apresentou um padrão de distribuição tipo mosaico, com diversos focos, e os multibacilares predominaram por toda a extensão da Vila. A análise de Kernel revelou “áreas quentes”, de maior concentração da doença. A influência dos casos multibacilares na distribuição dos casos nas microáreas mostrou uma correlação espacial positiva de forte intensidade. Concluiu-se que a utilização do geoprocessamento na pesquisa, foi importante para uma melhor compreensão acerca da epidemiologia da hanseníase na região, demonstrando uma constante mudança na distribuição espacial da hanseníase no município, em que foram identificadas áreas de maior concentração de casos, com maior risco de adoecimento, levando em considerações os fatores soóciodemográficos e clínicos, que gerou importantes indicadores epidemiológicos e operacionais para a hanseníase no município.
Abstract: Leprosy is a chronic disease which represents a serious public health problem in Brazil. It is manifested by dermatological and neurological signs and symptoms. Considering the hyperendemicity context of leprosy in the state of Pará, it is necessary use tools for designing interventions more effectively in the transmission chain of the disease. The aim of this study was to identify the pattern of spatial distribution and temporal evolution of leprosy in a hyperendemic county in the state of Pará in 2003 to 2013 period, which takes into consideration clinical, demographic and territorial aspects. This is an ecological, collective, observational and retrospective study in the city of Igarapé-Açu, in the state of Pará. Data were collected by means of detection of new cases available in SINAN and local health service files, which were later georeferenced for geostatistical analysis. 226 cases were reported and there is a slight increasing trend of males from 2009; the predominant age is between 15 and 60 years old. The overall detection rate of new cases of leprosy decreased in national, regional, state and municipal levels. With the estimate for 2020, the trend analysis showed that the Igarapé-Açu will surpass the North region. With respect to clinical characteristics, it became clear predominance of dimorphous. The multibacillary pointed a chance to occur approximately 2 times higher in men. The undetermined clinical form was predominant in children under 15 years old. There was a predominance of zero degree of disability, but the degree of disability II was still beyond recommended by the Ministry of Health, having males with a chance of approximately 3 times more likely to evolve with the degree of disability II. There was discharged as cured in most cases, however with a trend in their reduction and an increase in abandonments and transfers. The spatial distribution map of the cases presented a distribution pattern mosaic-like, with several focuses, and multibacillary prevailed throughout the length of the study area. The Kernel analysis revealed "hot areas" of higher concentration of the disease. The influence of multibacillary in the distribution of cases in the micro areas showed a positive spatial correlation with high intensive. It is concluded that the use of geoprocessing techniques in research was important for a better understanding of the epidemiology of leprosy in the region, demonstrating a constant change in the spatial distribution of leprosy in the city, in which areas with highest number of cases were identified, i.e. increased risk of illness; taking into consideration the socio-demographic and clinical factors that have generated important epidemiological and operational indicators for leprosy in the city.
Keywords: Doenças infecciosas e parasitárias
Saúde pública
Epidemiologia
Geoprocessamento
Hanseníase
Igarapé Açu - PA
Pará - Estado
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_DistribuicaoEspacialEvolucao.pdf2,87 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons