Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9292
Tipo: Dissertação
Fecha de publicación : 30-sep-2011
Autor(es): SANTOS, Zaire Alves dos
Primer Orientador: DINIZ, Cristovam Wanderley Picanço
Título : Cinética da infecção pelo arbovírus piry em modelo murino: a resposta do hospedeiro adulto
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citación : SANTOS, Zaire Alves dos. Cinética da infecção pelo Arbovírus Piry em modelo murino: a resposta do hospedeiro adulto. 2011. 59 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular.
Resumen: No presente estudo, um membro do grupo das RNA viroses Sul Americanas encontrado no Brasil, que causa doença febril em humanos e encefalite em camundongos adultos e neonatos, foi selecionado como um modelo para estudar as consequências das encefalites por arbovírus. Em camundongos mantidos em condições padronizadas com acesso livre a água e comida, induziu-se encefalite por via intranasal empregando homogenado cerebral infectado pelo vírus Piry, correlacionando a resposta inflamatória celular quantitativa do hospedeiro na região septal, com os sinais clínicos e a neuroinvasão, utilizando como controle animais que receberam homogenado cerebral não infectado. Animais com três meses de idade receberam volume igual de homogenado cerebral infectante ou de homogenado cerebral normal nas narinas. Em cada um dos oito dias após a infecção, cinco sujeitos da colônia infectada foram sacrificados, perfundidos e processados para detecção dos antígenos virais e microglia. Sujeitos controle foram sacrificados no 5º dia após a inoculação do homogenado cerebral normal para os mesmos marcadores. A encefalite viral induziu ativação microglial e neuroinvasão das células gliais e neurônios, principalmente nas vias olfatórias nas fases iniciais (2 - 4 dpi), mas também incluiu o hipocampo, o cerebelo e núcleos do tronco cerebral mais tarde (5 - 8 dpi). A correlação das estimativas do número de microglias na área septal com os sinais clínicos e a neuroinvasão revelaram que o número e a morfologia daquelas mudou antes da neuroinvasão ter alcançado a região septal e os sinais clínicos aparecerem. Grande variabilidade na intensidade dos sintomas clínicos e na taxa de sobrevivência foi encontrada na variedade de camundongos albinos suíços quando comparados com o previamente descrito na variedade C57Bl6 sugerindo um background genético mais heterogêneo para aquela variedade. Tomados em conjunto nossos resultados prévios e atuais dedicados a investigar a progressão da encefalite induzida pelo vírus Piry no camundongo albino suiço pode abrir um novo campo de investigação das bases genéticas, anatômicas e imunes acerca das encefalites sub-letais tropicais.
Resumen : In the present report, a member of a group of RNA South American viruses found in Brazil, that causes febrile disease in humans and encephalitis in neonate and adult murine models, was selected as a model to study encephalitis outcomes in adult albino Swiss mice. In mice housed under standard conditions with free access to water and food, we induced viral encephalitis by intranasal inoculation of Piry virus–infected brain homogenate and correlated neuropathological features. We quantified the cellular inflammatory response in the septal region using a stereologically based unbiased method with clinical signs and neuroinvasion, comparing the outcomes with those of animals inoculated with uninfected brain homogenate. Three-month-old female mice maintained in standard environment received an equal volume of Piry virus infected or normal brain homogenates into the nostrils. From the 1st to 8th days post-instillation (dpi), five subjects from the infected colony were fixed and processed to detect viral antigens and microglia. Control subjects were sacrificed in the 5th dpi and processed for the same markers. After Piry virus encephalitis induced microglial activation and neuroinvasion of glial cells and neurons mainly in the olfactory pathways early in the disease (2 – 4 dpi), but also included hippocampus, cerebellum and brain stem nuclei later on (5 - 8 dpi). The correlation of the host cellular inflammatory quantitative response in the septal area with clinical signs and neuroinvasion, revealed that the number and the morphology of microglias changed early in the disease before neuroinvasion had reached the septal region and clinical signs had appeared. Great variability in clinical symptoms intensity and survival rate were found in the outbred albino Swiss mice strain as compared with previous report in the inbred C57Bl6 strain suggesting less isogenic background. Taken together, our previous and present report dedicated to investigate Piry virus encephalitis progression in the outbred albino Swiss mice strain may open a new field of investigation of the genetics, anatomical and immune substrates of tropical sublethal arbovirus encepahlitis.
Palabras clave : Arbovírus
Vírus Piry
Encefalite viral
Microglia
Alterações morfológicas
Camundongo como animal de laboratório
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MICROBIOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::MORFOLOGIA
País: Brasil
Editorial : Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Instituto de Ciências Biológicas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Aparece en las colecciones: Dissertações em Neurociências e Biologia Celular (Mestrado) - PPGNBC/ICB

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
Dissertacao_CineticaInfeccaoArbovirus.pdf1,62 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este ítem está sujeto a una licencia Creative Commons Licencia Creative Commons Creative Commons