Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11722
Tipo: Dissertação
Data do documento: 15-Mai-2019
Autor(es): GOZZI, Priscila Valéria Tavares
Primeiro(a) Orientador(a): COSTA, Marcondes Lima da
Título: Mineralogia e geoquímica dos sedimentos de fundo do rio-lago Tapajós-Pa.
Agência de fomento: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citar como: GOZZI, Priscila Valéria Tavares. Mineralogia e geoquímica dos sedimentos de fundo do rio-lago Tapajós-Pa. Orientador: Marcondes Lima da Costa. 2019. 103 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11722. Acesso em: .
Resumo: Com a subida do nível do mar a partir do Holoceno médio a zona de desembocadura do rio Tapajós passou por mudanças na distribuição da carga sedimentar, atualmente com baixa carga em suspensão, e principalmente desaceleração do fluxo devido a barreira física criada pela diferença de densidade da água com a do rio Amazonas, afogando a foz do rio Tapajós, o que levou ao estabelecimento de condições características de lago. Para avaliar essas novas condições, no baixo curso do rio Tapajós (Lago Tapajós), entre os Municípios de Aveiro a Santarém, foram coletadas e analisadas amostras de sedimentos de interface água-sedimento e dos sedimentos de fundos nos primeiros 90 cm (perfis) de profundidade. Essas amostras foram analisadas quanto às suas características sedimentológicas, mineralógicas e geoquímicas. Os resultados demonstram que as amostras de interface são predominantemente arenosas e os perfis são siltosos, constituídos por quartzo, caulinita, illita/muscovita, além de goethita, gibbsita, anatásio e esmectitas. Esses minerais em sua maioria são constituintes dos solos dos terrenos que circundam o lago. A presença de esmectita não se restringe o rio Amazonas como única fonte, podendo vir de rochas sedimentares do entorno da bacia e de rochas parcialmente intemperizadas na porção a montante do lago. A assembleia de minerais pesados formada por minerais predominantemente ultraestáveis, apontam reciclagem e tendo como fonte primária de rochas graníticas e metamórficas. A distribuição preferencial de sedimentos arenosos nas margens e sílticos e argilosos nas zonas centrais e a variação cíclica da composição química ao longo do perfil, preferencialmente na porção sul do lago, reforça a ambiência lacustre pelos menos nos últimos 90 cm de profundidade.
Abstract: The Tapajós River experienced changes in its sedimentary load after the sea level in the Middle Holocene. The river’s mouth had its sedimentary load altered due to the difference of the density of its waters in relation to those of the Amazonas River, which created a physical barrier and drowned the mouth of the Tapajós River between the cities of Aveiro and Santarém. Thus, this part of the Tapajós River is nowadays better described as Lake Tapajós. Aiming the characterization of the Lake Tapajós, as well as the geological source of its sediments, samples from the water-sediment interface and from boreholes (90 cm) were collected and submitted to sedimentological, mineralogical and geochemical studies. The results show that the samples of the water-sediment interface are predominantly sandy, whereas the boreholes profiles are silty and composed by quartz, kaolinite, illite, muscovite, with goethite, gibbsite, anatase and smectite, showing a common mineralogical composition found in the terrains surrounding the lake. The occurrence of smectites suggests they are from the following different sources: Amazonas River, rocks of the sedimentary basin and partially weathered rocks from the Lake Tapajós upstream. The heavy mineral assemblage, predominantly composed by ultra-stable minerals, indicates recycling of these minerals, originally from primary sources as igneous and metamorphic rocks. The preferential distribution of sandy sediments in the margins and silty and clay in the central part of the lake, as well as the cyclical variation in the chemical composition along the borehole profiles, mainly in the southern portion of the lake, reinforces the lacustrine environment at least in the last 90 cm depth.
Palavras-chave: Caulinita
Esmectita
Metais pesados
Área de Concentração: GEOQUÍMICA E PETROLOGIA
Linha de Pesquisa: MINERALOGIA E GEOQUÍMICA
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Instituto de Geociências
Programa: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Fonte: 1 CD-ROM
Aparece nas coleções:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_MineralogiaGeoquimicaSedimentos.pdf5,27 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons