Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11942
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorCARVALHO, Victor Rocha-
dc.date.accessioned2019-10-17T16:55:11Z-
dc.date.available2019-10-17T16:55:11Z-
dc.date.issued2019-08-31-
dc.identifier.citationCARVALHO, Victor Rocha. A dinâmica da vegetação nas planícies de maré do delta do rio Doce durante o holoceno tardio. Orientador: Marlon Carlos França. 2019. 72 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11942. Acesso em: .pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11942-
dc.description.abstractThe goal of this work was to study the vegetation dynamics on the tidal plain of the Doce River Delta – southeastern Brazil – under the climate change influence and relative sea-level change during the late Holocene (2350 cal yr BP). Thus, 14C dating, sedimentary features, and pollen date, obtained from two cores denominated URU1 (0.5 m depth) and URU2 (4 m depth), sampled with a peat sampler were used. The cores presented four typical sedimentary facies of tidal plain: i) Flaser heterolithic bedding (Hf); ii) Wavyheterolithic bedding; iii) Lenticular heterolithic bedding (Hl) and iv) Parallel mud (Mp). The pollen analysis of URU1 showed herbs predominance, trees and shrubs in all intervals, besides rising of aquatic vegetation towards surface. The URU2 core showed a mangrove and foraminifera influence close to the bottom and middle depth, possibly due to a higher marine/estuarine influence until 2250 cal yr BP. However, close to the surface of this core, occurred a mangrove and foraminifera decrease, followed by freshwater aquatic vegetation increasing, indicating a decrease in the marine influence. This can be a result of a relatively humid climate since at least 2250 cal y BP, which resulted in higher rainfall and flow of rivers. Furthermore, the palynological data shows anthropic or natural alterations that occurred after 2250 cal yr BP demonstrated decreased coverage of palm trees in the tidal plain, further of a higher presence of Cecropia and Typha angustifolia pollen. Therefore, an increase of freshwater flow and wet climate conditions since at least 2000 cal yr BP, has been decisive for increasing sediment transport by the rivers to the delta plain, resulting in a coastline increase, leading coastal progradation, which resulted in replace process between mangroves and herbaceous vegetation.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectMudanças climáticaspt_BR
dc.subjectManguezaispt_BR
dc.subjectPalinologiapt_BR
dc.subjectVegetação de manguept_BR
dc.titleA dinâmica da vegetação nas planícies de maré do delta do rio Doce durante o holoceno tardio.pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIASpt_BR
dc.contributor.advisor1FRANÇA, Marlon Carlos-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8225311897488790pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4901269417948604pt_BR
dc.description.resumoEste trabalho tem como objetivo avaliar a dinâmica da vegetação nas planícies de maré do delta do rio Doce – sudeste do Brasil – sob a influência das mudanças climáticas e das flutuações do nível relativo do mar durante o Holoceno Tardio (2350 anos cal AP). Para isso, foram utilizadas datações 14C, descrição de características sedimentares e dados polínicos, obtidos a partir de dois testemunhos denominados URU1 e URU2, com profundidades de 0,5 m e 4 m, respectivamente, coletados com um Trado Russo. Os testemunhos apresentaram quatro fácies sedimentares, típicas de planícies de maré: i) acamamento heterolítico flaser (Hf), ii) acamamento heterolítico wavy, iii) acamamento heterolítico lenticular (Hl) e iv) lama com laminação paralela (Mp). A análise polínica do testemunho URU1 revelou o predomínio de ervas, árvores e arbustos em todas as profundidades, com aumento na frequência da vegetação aquática em direção à superfície. No testemunho URU2 foram registrados palinomorfos de manguezais e de foraminíferos na parte basal e mediana, sugerindo um domínio marinho/estuarino mais atuante até aproximadamente 2250 anos cal AP. Por outro lado, nas profundidades mais próximas ao topo do testemunho URU2 ocorreu a redução dos grãos de manguezal e de foraminíferos, seguido de um aumento da vegetação aquática de água doce, indicando diminuição da influência marinha. Essa tendência pode ser resultado de um clima relativamente mais úmido a partir de ~2250 anos cal AP, que proporcionou aumento dos índices pluviométricos e maior vazão dos rios na região, com aumento da influência fluvial. Foi possível perceber ainda, possíveis alterações antrópicas e /ou natural, corroborado pelo aumento na porcentagem de grãos de Cecropia e Typha angustifolia, e pela diminuição na cobertura de palmeiras nas planícies de maré, a partir de ~2250 anos cal AP. Assim, é razoável propor que o aumento da influência de água doce nos últimos 2000 anos, foi decisivo no aumento do transporte de sedimentos pelos rios para a planície deltaica, o qual pode ser o responsável pelo processo de substituição da planície de maré colonizada por manguezais por vegetação herbácea.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímicapt_BR
dc.subject.linhadepesquisaGEOLOGIA MARINHA E COSTEIRApt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoGEOLOGIApt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_DinamicaVegetacaoPlanicies.pdf4,3 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons