Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/13353
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 15-Apr-2016
metadata.dc.creator: SILVA, Paulo Vilhena da
metadata.dc.contributor.advisor1: SILVEIRA, Marisa Rosâni Abreu da
metadata.dc.contributor.advisor1ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3147-9478
Title: Qual o sentido de estudar matemática na escola? o que dizem professores e alunos
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citation: SILVA, Paulo Vilhena da. Qual o sentido de estudar matemática na escola? o que dizem professores e alunos. Orientadora: Profa. Dra. Marisa Rosâni Abreu da Silveira. 2016. 148 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas) - Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, Belém, 2016. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/13353. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Não é novidade que o aprendizado da Matemática é problemático. Assim, há algum tempo, como alternativa a essa dificuldade, os pesquisadores da Educação Matemática têm buscado considerar a cultura e os costumes de diferentes grupos no ensino da Matemática, investigando como usar esse conhecimento extraescolar no ensino escolar da referida disciplina, com o intuito de tornar o aprendizado mais interessante, mais útil, mais contextualizado, mais crítico, mais significativo, etc. Posto que na literatura deste campo de estudo é muito comum encontrarmos afirmações de que o professor deve contextualizar o que ensina, utilizando-se situações concretas da vida dos estudantes, isto é, problemas reais da vida do aprendiz. Embora essa possa ser uma boa estratégia, se levada ao extremo, dá a entender que somente o que é imediatamente aplicável à vida dos estudantes deve ser ensinado. Esse é um olhar ingênuo e romântico para a prática pedagógica e torna-se atraente ao sugerir que os estudantes seriam mais felizes, mais livres e mais criativos aprendendo na escola a Matemática que vivenciam em seu cotidiano. Um discurso sedutor que deixa nas entrelinhas, de maneira consciente ou não, que o aluno pobre deve manter seu lugar social. Partimos da hipótese de que essa concepção também está presente na opinião da comunidade escolar, assim, nosso objetivo neste trabalho foi analisar qual a concepção de alunos e de professores sobre o sentido de estudar Matemática na escola. Para tanto, pedimos aos sujeitos, alunos e professores de escolas públicas da região metropolitana de Belém que respondessem o questionamento acima. As análises apontam que alunos e professores concordam, assim como grande parte dos pesquisadores da Educação Matemática, que o sentido de estudar matemática traduz-se em sua utilidade prática imediata. Ao contrário, em nossa argumentação, feita à luz da Pedagogia Histórico-crítica, defendemos que não se estuda matemática apenas para utilizá-la em atividades práticas imediatas do cotidiano, mas sim como parte do processo de humanização dos indivíduos: a formação de cidadãos críticos capazes de compreender e modificar as contradições que os rodeiam, entendendo sua realidade de maneira mais elaborada, enriquecendo seu universo de significados, ultrapassando os limites da observação direta.
Abstract: It is not news that learning of mathematics is problematic. Thus, for quite some time, as an alternative to this difficulty, researchers in mathematics education has sought to consider the culture and the customs of different groups in the teaching of mathematics, investigating how to use this “out of school” knowledge in school teaching of mathematics, in order to make learning more interesting, useful, contextualized, critical, meaningful, etc. Hence, in the literature of this field of study it is very common to find statements that the teacher should contextualize his classes using concrete situations of life of students, that is, real problems of learner's life. While this may be a good strategy if taken to the extreme, gives the impression that only what is immediately applicable to the lives of students should be taught. This is a naive and romantic view for pedagogical practice and becomes attractive for suggesting that students would be happier, free and creative by learning in school mathematics they experience in their daily lives. It is a seductive discourse that leaves between the lines, consciously or not, that the poor student must maintain their social place. Our hypothesis is that this conception is also present in the opinion of the school community, so our goal in this work was to analyze which conception students and teachers have about the meaning (reasons) of studying mathematics at school. Therefore, we asked the subjects, students and teachers of public schools in the metropolitan region of Belém to answer the above question. The analysis show that students and teachers agree, as well as some of the researchers in mathematics education, that the sense of studying math is its immediate practical uses. On the contrary, in our argument, made in the light of the Pedagogy Historical-Critical, we argue that we do not study mathematics only to use it in immediate everyday practical activities, but as part of the process of humanization of the individual: the formation of critical citizens who are able to understand and modify the contradictions that surround them, understanding their reality in a more elaborate way, enriching its universe of meanings, going beyond the limits of direct observation.
Keywords: Cotidiano
Alunos de classes populares
Pós-modernismo
Pedagogia histórico-crítica
Everyday life
Students of popular classes
Postmodernism
Historical- critical pedagogy
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: EDUCAÇÃO MATEMÁTICA
metadata.dc.subject.linhadepesquisa: LINGUAGENS E PRÁTICAS DOCENTES
metadata.dc.subject.cnpq: MATEMÁTICA - ESTUDO E ENSINO
EDUCAÇÃO
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Educação Matemática e Científica
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Teses em Educação em Ciências e Matemáticas (Doutorado) - PPGECM/IEMCI

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SentidoEstudarMatematica_Tese.pdf1,51 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.