Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/1960
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 22-Oct-2004
metadata.dc.creator: MONTEIRO, Dion Márcio Carvaló
metadata.dc.contributor.advisor1: HURTIENNE, Thomas Peter
Title: Estudo sobre a organização da produção em área de assentamento no Sudeste do Pará
Other Titles: Study on the organization of the production in area of nesting in the Southeast of Pará
Citation: MONTEIRO, Dion Márcio Carvaló. Estudo sobre a organização da produção em área de assentamento no Sudeste do Pará. 2004. 115 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2004. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
metadata.dc.description.resumo: O trabalho em questão, desenvolvido em um assentamento de trabalhadores rurais no município de Parauapebas/PA, objetivou: (01) identificar, no assentamento Palmares, os principais problemas decorrentes da implantação de um modelo de reprodução econômica, agroindustrial, estranho à região sudeste do Pará (importado do sul do país); (02) verificar alguns resultados, principalmente econômicos, mas também sociais, decorrentes da atual estrutura de organização da produção existente no referido assentamento e, finalmente; (03) analisar o suposto conflito que há entre o modelo de produção coletiva, proposto pelo MST, e a reprodução econômica individualizada, priorizada pelos agricultores. Foi identificado que os maiores entraves na tentativa de inserção forçada, de um modelo econômico que não contemplava as diferenças infra-estruturais e tecnológicas entre estas duas regiões, apresentaram-se na falta de conhecimentos técnicos e administrativos por parte da quase totalidade dos assentados, bem como dos dirigentes da Associação de Produção e Comercialização do Assentamento Palmares. Em relação aos principais resultados econômicos obtidos, verificou-se que as culturas temporárias mais trabalhadas são: arroz, milho e mandioca (comercializada in natura e na forma de farinha), comuns na região. No que se refere ao conflito entre a produção coletiva e a reprodução individualizada, observouse que a estrutura de organização e gerenciamento dos agricultores precisa ser melhor desenvolvida, para que este modelo econômico coletivo realmente tenha êxito. O trabalho considerou um universo de 517 famílias, oficialmente cadastradas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, sendo abordadas um total de 105 pessoas responsáveis pelas famílias e, como forma de garantir a representatividade do estudo, tendo sido entrevistadas no mínimo uma e no máximo três famílias por cada núcleo de produção. Foram identificados 38 núcleos em funcionamento, quantidade encontrada após levantamento junto à Associação e aos coordenadores destes núcleos, aplicando-se questionário a todos estes dirigentes locais. Como um dos resultados da pesquisa foi verificado que mais de 95% das famílias, vinculadas a algum dos núcleos de produção, trabalham unicamente de forma individualizada e que, quase 50% dos coordenadores de núcleo informaram que não existe, ou existe pouquíssima cooperação entre os componentes das estruturas que dirigem. O estudo indica ainda ser necessário avançar nas investigações aqui apresentadas, principalmente na definição e na construção de modelos econômicos que possam acomodar em seu interior tanto atividades produtivas individuais, quanto coletivas, ou de cooperação no campo.
O trabalho em questão, desenvolvido em um assentamento de trabalhadores rurais no município de Parauapebas/PA, objetivou: (01) identificar, no assentamento Palmares, os principais problemas decorrentes da implantação de um modelo de reprodução econômica, agroindustrial, estranho à região sudeste do Pará (importado do sul do país); (02) verificar alguns resultados, principalmente econômicos, mas também sociais, decorrentes da atual estrutura de organização da produção existente no referido assentamento e, finalmente; (03) analisar o suposto conflito que há entre o modelo de produção coletiva, proposto pelo MST, e a reprodução econômica individualizada, priorizada pelos agricultores. Foi identificado que os maiores entraves na tentativa de inserção forçada, de um modelo econômico que não contemplava as diferenças infra-estruturais e tecnológicas entre estas duas regiões, apresentaram-se na falta de conhecimentos técnicos e administrativos por parte da quase totalidade dos assentados, bem como dos dirigentes da Associação de Produção e Comercialização do Assentamento Palmares. Em relação aos principais resultados econômicos obtidos, verificou-se que as culturas temporárias mais trabalhadas são: arroz, milho e mandioca (comercializada in natura e na forma de farinha), comuns na região. No que se refere ao conflito entre a produção coletiva e a reprodução individualizada, observouse que a estrutura de organização e gerenciamento dos agricultores precisa ser melhor desenvolvida, para que este modelo econômico coletivo realmente tenha êxito. O trabalho considerou um universo de 517 famílias, oficialmente cadastradas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, sendo abordadas um total de 105 pessoas responsáveis pelas famílias e, como forma de garantir a representatividade do estudo, tendo sido entrevistadas no mínimo uma e no máximo três famílias por cada núcleo de produção. Foram identificados 38 núcleos em funcionamento, quantidade encontrada após levantamento junto à Associação e aos coordenadores destes núcleos, aplicando-se questionário a todos estes dirigentes locais. Como um dos resultados da pesquisa foi verificado que mais de 95% das famílias, vinculadas a algum dos núcleos de produção, trabalham unicamente de forma individualizada e que, quase 50% dos coordenadores de núcleo informaram que não existe, ou existe pouquíssima cooperação entre os componentes das estruturas que dirigem. O estudo indica ainda ser necessário avançar nas investigações aqui apresentadas, principalmente na definição e na construção de modelos econômicos que possam acomodar em seu interior tanto atividades produtivas individuais, quanto coletivas, ou de cooperação no campo.
Abstract: This paper was developed in a rural workers site in the town of Parauapebas/PA, and it aimed: (01) identify, at the Palmares site, the main problems caused by the application of an agro-industrial economic reproduction model, what is weird in the southeast of the state of Pará (imported from the south of the country); (02) check some outcomes, mainly economic, but also the social ones that were caused by the current structure of the existing production organization in that site; and finally, (03) analyze the presumed conflict that there is between the collective production model, proposed by the MST*, and the individualized economic one, preferred by the rural workers. It was identified that the main obstacles in the attempt of forced insertion of an economic model that did not seem to contemplate the infrastructure and technological differences between these two regions occurred due to the lack of administrative and technical knowledge of most of the workers as well as their chiefs. Regarding the main obtained economic outcomes, it was verified that the main produced cultures were: rice, corn and cassava (being the latter commercialized in natura or in the form of flour), which are common in the region. As far as the collective and individualized production is concerned, it was noted that the structure of organization and management of the workers needs to be better developed so that this collective economic model really succeeds. The research considered a group of 517 families which were officially registered by the National Institute of Colonization and Agro Reform, where 105 family chiefs were interviewed and as a way to guarantee the research representativity. One at least or three families at the most were interviewed in each production nucleus. 38 going on nucleus were identified, which amount was found after counting before the association and nucleus coordinators, a questionnaire was applied to all these local heads. One of the outcomes of the research was: more than 95% of the families that were annexed to one of the production nucleus work in an individualized way and that almost 50% of the nucleus heads informed that there is very little cooperation among their directed structure components. The research also indicates that it is still necessary to advance in the investigations presented here, mainly in the definition and in the building of economic models that are able to accommodate individual productive activities as well as collective or cooperative ones in the country.
Keywords: Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra
Cooperativa
Produção agrícola
Economia agrícola
Assentamento Palmares - Parauapebas (PA)
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIAS AGRARIA E DOS RECURSOS NATURAIS::ECONOMIA AGRARIA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Mestrado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_EstudoOrganizacaoProducao.pdf2,16 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons