Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/2980
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 31-Aug-2011
metadata.dc.creator: SILVA, Joana Angélica de Souza
metadata.dc.contributor.advisor1: SALES, Germana Maria Araújo
Title: Álbum de leitura de Rachel de Queiroz
Citation: SILVA, Joana Angélica de Souza. Álbum de leitura de Rachel de Queiroz. 2011. 101 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Letras e Comunicação, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Letras.
metadata.dc.description.resumo: No Brasil, entre as décadas de 1930 e 1960, uma coleção de romances constituiu-se em um tipo de leitura muito popular, consumida, principalmente, por mulheres jovens de classe média. Esses romances, em geral ambientados na França, foram traduzidos e editados pela Companhia Editora Nacional (SP) e colocados à venda em todo o país, com ampla propaganda, sob o título Coleção Biblioteca das Moças. A coleção era composta de 175 volumes, muitos deles assinados por M. Delly (35 no total), pseudônimo utilizado pelo casal de irmãos franceses - Frédéric Henri Petitjean de La Rosiére (1870-1949) e Jeanne-Marie Henriette Petitjean de La Rosiére (1875-1947). Dentre as leitoras dessa famosa coleção, destaca-se neste trabalho, a autora Rachel de Queiroz, que em seu livro Tantos Anos – Uma biografia cita três títulos desta “literatura cor de rosa”: Corações Inimigos, Freirinha e Mitsi. Rachel, assim como milhares de outras leitoras brasileiras, encontrava nessas leituras um refúgio, uma fuga da realidade tão “sem romance”. Como a coleção Biblioteca das Moças era destinada a um público feminino, nada melhor que um ícone literário feminino, como representante. Partindo da importância que a coleção Biblioteca das Moças possuía para o público feminino da década de 30 a 60, este trabalho pretende refletir sobre a tão bem sucedida relação entre os livros dessa coleção e as leitoras de romances da época, além de recuperar a imagem de leitora empírica da escritora Rachel de Queiroz.
Abstract: In Brazil, in the decades of 1930 to 1960, a novel collection became very popular and consumed by young women from the medium class. These romances were translated and edited by Companhia Editora Nacional (SP), they were sold all over the country with the title Coleção Biblioteca das moças. The collection was composed by 175 volumes and most of them were written by M. Delly (35 volumes). M. Delly was a pseudonym of a couple of French brothers – Fréderic Henri Petitjean de La Rosiére (1870 – 1949) and Jeanne-Marie Henriette Petitjean de La Rosiére (1875-1947). One of the readers of this collection was Rachel de Queiroz (who will be emphasized in this work). Rachel in one of her books called Tantos Anos – Uma biografia, mentions three books from this collection: Corações Inimigos, Freirinha and Mitsi. Rachel, exactly like other thousand of Brazilian readers, found in these books an escape of this sad reality. Knowing the importance that this collection had for the feminine public during the decades of 30 to 60, this work intends to talk about the well succeed relation between the books of this collection and the readers, and wants to recover the image of the empiric writer Rachel de Queiroz.
Keywords: Romance
Literatura
Queiroz, Raquel, 1910-2003
Brasil - País
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Letras e Comunicação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Letras
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Letras (Mestrado) - PPGL/ILC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_AlbumLeituraRaquel.pdf2,93 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons