Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3060
Compartilhar:
Type: Tese
Issue Date: 2008
Authors: DEUS, Zélia Amador de
First Advisor: CAMPELO, Marilu Marcia
Title: Os herdeiros de Ananse: movimento negro, ações afirmativas, cotas para negros na universidade
Citation: DEUS, Zélia Amador de. Os herdeiros de Ananse: movimento negro, ações afirmativas, cotas para negros na universidade. 2008. 295 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2008. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais.
Resumo: Ananse, a metamorfose em aranha da deusa Aranã, procedente da cultura fanthi-ashanti, da região do Benin na África ocidental, configura-se, neste trabalho na metáfora símbolo das ações de resistência empreendidas pelos africanos seus descendentes no continente americano, particularmente no, Brasil. Dessa maneira, apresenta um relato etnográfico da saga dos herdeiros da deusa Aranã em luta contra o racismo. A estrutura desta narrativa é a de um Auto Teatral em que o personagem antagonista é o Racismo e o protagonista são os herdeiros de Ananse. A composição dessa narrativa parte da premissa de que as diversas culturas trazidas pelo protagonista exerceram importância fundamental, para alimentar a luta dos africanos e seus herdeiros, frente à astúcia de um antagonista capaz de se travestir, no tempo e no espaço, de várias personas (máscaras) para desorientar e enfraquecer os discursos do protagonista. Entretanto, o protagonista também é astucioso na elaboração de suas teias. No tecido desta narrativa recupero as teias elaboradas por este personagem para inserir na agenda do estado brasileiro o reconhecimento da existência do racismo e da discriminação racial, na sociedade. e as políticas públicas de ação afirmativa, em especial, o emprego do sistema de cotas para negros na universidade. O embate é uma narrativa com características épicas que privilegia o papel do fio/ação movimento negro.
Abstract: Ananse, the metamorphosis in spider of Goddess Aranã, coming from fanthi-ashanti culture, of Benin Region, in East Africa, is shown, in this paper, as the symbol metaphor of the resistance actions carried out by the Africans and their descendents in the American continent, particularly in Brazil. This way, it presents an ethnographic report of the saga of Goddess Aranã’s heirs in their fight against racism. The structure of that narrative is alike to a Theater Auto in which the antagonist character is the Racism, and the protagonist is Ananse’s heirs. The composition of that narrative starts with the assumption that the several cultures brought by the protagonist had a crucial importance in encouraging the African and their heirs’ fight, face to the wit of an antagonist capable of wearing, in time and space, many persons (masks) to confuse and weaken the protagonist speeches. However, the protagonist is also very smart in weaving his webs. Upon elaborating that narrative, the webs created by that character are recovered in order to insert, in the official Brazilian agenda the recognition of the existence of racism and racial discrimination in the society, and the state affirmative action policies, mainly, the use of the quota system to Negroes at the University. The fight is a narrative with epic characteristics which favors the role of string/action Negro movement.
Keywords: Racismo
Política de ação afirmativa
Negro (Raça)
Universidade
Brasil - País
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA::ANTROPOLOGIA DAS POPULACOES AFRO-BRASILEIRAS
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Appears in Collections:Teses em Ciências Sociais (Doutorado) - PPGCS/IFCH

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_HerdeirosAnanseMovimento.pdf1,34 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons