Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5358
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: Mar-2002
metadata.dc.creator: SAMPAIO, Maria Elizângela Carvalho
metadata.dc.contributor.advisor1: ASSIS, Grauben José Alves de
Title: Equivalência de estímulos após a formação de classes seqüênciais com portadores de necessidades educativas especiais
Other Titles: Stimulus equivalence after sequential classes formation with mental retardation
Citation: SAMPAIO, Maria Elizângela Carvalho. Equivalência de estímulos após a formação de classes seqüênciais com portadores de necessidades educativas especiais. 2002. 70 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2002. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento.
metadata.dc.description.resumo: Estudos anteriores realizados no Laboratório de Psicologia Experimental da UFPA demonstraram que o treino por encadeamento era mais eficiente na formação de classes sequenciais, demonstrando maior precisão dos participantes nos testes que documentaram as propriedades de uma relação ordinal, especialmente no teste de substitutabilidade. Com base nesse estudo e através de um procedimento de encadeamento para formar oito sequências independentes com estímulos visuais, procurou-se avaliar os efeitos de uma história de treino com estímulos usuais e não usuais e se os membros das classes seqüenciais emergentes eram também equivalentes. Participaram deste estudo três indivíduos portadores de necessidades educacionais especiais, alunos da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), todos experimentalmente ingênuos. As sessões experimentais foram realizadas em uma sala da APAE, cinco vezes por semana. Foi utilizado um computador com tela sensível ao toque com um programa especialmente desenvolvido para este estudo. O procedimento contou com fases de treino e testes e foi dividido em duas condições: na Condição I foi utilizado o treino por encadeamento de respostas com quatro conjuntos de estímulos usuais seguido de teste de seqüenciação, testes com pares de estímulos não adjacentes, teste de substitutabilidade de estímulos e de equivalência. Na Condição II foi utilizado o mesmo procedimento da Condição I com quatro novos conjuntos de estímulos não usuais. Os resultados mostraram que asseqüências ensinadas apresentaram as propriedades de uma relação de ordinalidade, durante os testes de substitutabilidade de estímulos. Os participantes foram capazes de formar uma nova seqüência a partir do treino de duas seqüências independentes sugerindo assim a emergência de classes seqüenciais, em ambas as condições experimentais, demonstrando que os estímulos usuais podem ter exercido uma função básica de ordinalidade e ter facilitado o responder seqüencial com os novos estímulos. A emergência de relações de equivalência sugerem também que os estímulos são funcionalmente equivalentes. Estes resultados ampliam e estendem os resultados de estudos anteriores para uma outra população e confirmam empiricamente o que vem sendo apontado pela literatura da área.
Abstract: Studies first realized on the UFPA Psychology Experimental Laboratory showed that the chaining trial was more efficient on the sequential classes formation demonstrating a better precision by the participants on the test that documented the ordinal relation properties, specially on the substitutability test. Based on this study and through a chaining procedure to form eight independent sequences with visual stimuli, it was looked to evaluate the effects of a trial history with usual stimuli and no usual ones, and if the emergent sequential classes members were also equivalents. Participated on this study three people with mental retardation, students from APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). All of them were experimentally naïve. The experimental sections were realized in an APAE classroom, five times a week. It was used a computer with sensible touch screen that was specially created to this study. The procedure counted with trial and tests phases, and was divided in two conditions: in the Condition I it was used the answer chaining trial with four usual stimuli groups followed by the sequential test, no adjacent pair of stimuli tests, stimuli substitutability and equivalence test. In the Condition II it was used the same procedure used in Condition I with four new no usual stimuli groups. The results showed that the taught sequences presented an ordinarily relation properties during the stimuli substitutability tests. The participants were capable to form a new sequence by the two sequences independent trial, suggesting the sequential class emergency in both experimental conditions demonstrating that the usual stimuli could be exercised an ordinarily basic function, and had facilitated the sequential answer with the new stimuli. The equivalence relations emergency suggests also that the stimuli are functionally equivalents. These results make bigger anterior studies results to other population and empirically confirm what have being appointed by this subject literature.
Keywords: Psicologia experimental
Equivalência de estímulos
Estímulo/resposta
Relações entre estímulos
Educação especial
Portadores de necessidades especiais
Belém - PA
Pará - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_EquivalenciaEstimulosFormacao.pdf343,98 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons