Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6724
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 27-Feb-2015
metadata.dc.creator: VIANA, Luana Costa
metadata.dc.contributor.advisor1: ARAÚJO, Sônia Maria da Silva
Title: A colonização de corpos, corações e mentes: educação e higienismo em escritos de periódicos pedagógicos no Pará (1891-1912)
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: VIANA, Luana Costa. A colonização de corpos, corações e mentes: educação e higienismo em escritos de periódicos pedagógicos no Pará (1891-1912). 2015. 234 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Educação, Belém, 2015. Programa de Pós-Graduação em Educação.
metadata.dc.description.resumo: O estudo aborda o tema Educação e Higienismo. O objetivo é analisar a relação entre educação e higienismo e sua materialização nos discursos de homens de ciência, veiculados em periódicos pedagógicos produzidos no Estado do Pará, Brasil, publicados entre os anos 1891- 1912, para entender o sentido epistêmico que assumiram no contexto da colonialidade latino-americana. Neste sentido, esta tese partiu da seguinte questão: no contexto da colonialidade latino-americana, que sentidos assumiram os discursos que relacionam educação e higienismo, produzidos por homens de ciência do Pará, entre os anos 1891-1912, materializados em periódicos educacionais? Para tanto, adotou-se a pesquisa documental e bibliográfica. Epistemologicamente, nos pautamos na Nova História Cultural e na Teoria Decolonial. As fontes exploradas são artigos sobre educação e higienismo publicados nos periódicos: “Revista Educação e Ensino”, “A Escola”, “Revista do Ensino”. Para sua análise foram articuladas ao corpus das fontes documentos oficias como: Legislação educacional (regimentos escolares, decretos e pareceres); Relatórios de órgãos governamentais responsáveis pela instrução e pela saúde no Brasil, particularmente no Pará. Os resultados revelam que ao tratar de educação em associação com o ideário médico-higienista, as publicações constantes nos periódicos produziram representações que negavam os saberes das populações originárias do continente e de outras consideradas inferiores, como negros e brancos empobrecidos. Nestas produções os alunos dessas populações são comparados à cera e às plantas por serem frágeis e influenciáveis pela ação de adultos considerados incivilizados. Desta forma, os discursos em defesa da higienização do espaço, do tempo e das atividades escolares indicados nos periódicos acabaram por tentar moldar corpos, corações e mentes de crianças e adolescentes num processo onde a colonialidade do poder se manifesta em seus âmbitos epistemológico (colonialidade do saber) e ontológico (colonialidade do ser). Portanto, a tese defendida neste estudo é que a racionalidade médico-higiênica materializada nos discursos de homens de ciência presentes nos periódicos pedagógicos produzidos no Estado do Pará, Brasil, publicados entre os anos 1891-1912 corroborou a Colonialidade que se instaurou na América Latina.
Abstract: The study approaches Education and Hygienism. The objective is analyze the relationship between education and hygienism in Latin America and the materialization in the speeches of men of science, in the periodic of education produced in Brazil, Pará State, published between the years 1891 to 1919, to understand the epistemic sense that assumed. In this sense, this thesis proposes the question: in the context of Latin American colonialism, which senses had the discourses that was related education and hygienism produced by Pará men of science, between the years 1891-1912, materialized in educational journals? Therefore, was adopted the document and literature. Epistemologically, has guided us in New Cultural History and Theory colonialist. The papers that was read in the research is composit of articles of educational periodicals published: "Revista de Educação e Ensino", "A Escola" and "Revista do Ensino". For their analysis were articulated others documents such as, educational legislation (scholar regiment, decrees and opinions); Reports of government agencies responsible for instruction and health in Brazil, particularly in Pará. The results show that when dealing with education in association with the medical-hygienist ideology, the constant publications in periodicals produced representations that denied the knowledge of populations originating from the mainland and other less considered, such as black people and poor white people. These productions the students of these populations are compared to the wax and plants because they are fragile and influenced by the action of adults considered uncivilized. Then, the speeches in defense of cleaning the space, time and school activities indicated in the periodic try to shape bodies, hearts and minds of children and adolescents in a case where the colonialism of power is manifested in its epistemological fields (colonialism of knowledge) and ontological (colonialism of being). Therefore, the argument of this study is that the doctor-hygienic rationality embodied in the discourses of men of science present in educational journals produced in the State of Pará, Brazil, published between 1891-1912 confirmed the colonialism which arose in Latin America.
Keywords: Educação
Educação em saúde
Análise do discurso
Periódico brasileiro
Pessoal da saúde
América Latina
Pará - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências da Educação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Educação (Doutorado) - PPGED/ICED

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_ColonizacaoCorposCoracoes.pdf2,58 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons