Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/7390
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorCUNHA, Myriam Crestian Chaves da-
dc.date.accessioned2017-01-26T12:09:17Z-
dc.date.available2017-01-26T12:09:17Z-
dc.date.issued2006-
dc.identifier.citationCUNHA, Myriam Crestian Chaves da. Nem só de conceitos vivem as transformações: equívocos em torno da avaliação formativa no ensino/aprendizagem de línguas. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 59-77, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbla/v6n2/04.pdf >. Acesso em: 24 jan. 2017. <http://dx.doi.org/10.1590/S1984-63982006000200004>.pt_BR
dc.identifier.issn1984-6398pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7390-
dc.description.abstractThe purpose of this article is to present how in the learning and teaching of Portuguese as a mother tongue the concept of formative evaluation becomes meaningless when used as a magic wand to transform practices while neglecting the analysis of epistemological foundations and didactic consequences of the corresponding representations. In order to prove the legitimacy of a real regulative evaluation in the development of discursive competences, this article also examines misinterpretations motivated by the fetishizing of the concept such as the presumed interdependency of evaluative practices, the qualitative aspect of evaluative objects and also the continuous and processual aspect of evaluative practices.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.relation.ispartofRevista Brasileira de Linguística Aplicadapt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEnsinopt_BR
dc.subjectAprendizagem de línguaspt_BR
dc.subjectAvaliação formativapt_BR
dc.subjectProcesso de aprendizagempt_BR
dc.subjectProcesso de ensino-
dc.titleNem só de conceitos vivem as transformações: equívocos em torno da avaliação formativa no ensino/aprendizagem de línguaspt_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.citation.volume6pt_BR
dc.citation.issue2pt_BR
dc.citation.spage60pt_BR
dc.citation.epage77pt_BR
dc.description.resumoEste artigo apresenta uma reflexão sobre o modo como, no ensino/ aprendizagem do português língua materna, o conceito de avaliação formativa sofre um esvaziamento ao ser manipulado como senha mágica para a transformação das práticas, sem que as representações às quais se articulam as atividades de ensino/aprendizagem e de avaliação sejam analisadas em seus fundamentos epistemológicos e desdobramentos didáticos. Examinam-se alguns equívocos gerados pela fetichização do conceito, como aqueles perpetrados em torno da pretensa independência das práticas de avaliação do caráter qualitativo dos objetos de avaliação e do caráter contínuo e processual das práticas avaliativas, com o intuito de mostrar a legitimidade de uma avaliação verdadeiramente reguladora no desenvolvimento das competências discursivas.-
Appears in Collections:Artigos Científicos - FALE/ILC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_ConceitosTransformacoesEquivocos.pdf105,61 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons