Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8722
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFREITAS, Lilliane Miranda-
dc.creatorCHAVES, Sílvia Nogueira-
dc.date.accessioned2017-06-19T16:36:59Z-
dc.date.available2017-06-19T16:36:59Z-
dc.date.issued2013-12-
dc.identifier.citationFREITAS, Lilliane Miranda ; CHAVES, Silvia Nogueira. Desnaturalizando os gêneros: uma análise dos discursos biológicos. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciência (Belo Horizonte), Belo Horizonte, v. 15, n. 3, p. 131-147, set/dez. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-21172013000300131&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 19 jun. 2017. <http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172013150308>.pt_BR
dc.identifier.issn1983-2117pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8722-
dc.description.abstractThis research investigated reports in the magazine Superinteressante, how gender identity is constituted in the biological/ scientific discourse, and social productivity of these discourses. It is based on the theoretical fields of Michel Foucault and the Cultural Studies, in order to consider the connection between power/knowledge of production of gender through biological discourse published in the cultural pedagogies. In this investigation, evidence indicated that the biological discourses predominantly justify and naturalize the masculinity and femininity as biological evidence, which eventually produces and legitimizes supposedly natural ways of being male or female and socially behaviors expected. However, the genders are understood as socio-historical and cultural constructions, born from power-knowledge relationships, and where femininity and masculinity are not only constituted by biological characteristics.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.relation.ispartofEnsaio Pesquisa em Educação em Ciênciaspt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectGêneros do discursopt_BR
dc.subjectDiscursos biológicospt_BR
dc.subjectCultura da mídiapt_BR
dc.subjectPedagogia culturalpt_BR
dc.titleDesnaturalizando os gêneros: uma análise dos discursos biológicospt_BR
dc.title.alternativeDenaturalizing the genders: an analysis of biological discoursept_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.citation.volume15pt_BR
dc.citation.issue3pt_BR
dc.citation.spage131pt_BR
dc.citation.epage148pt_BR
dc.description.resumoNesta pesquisa investigamos, em reportagens da revista Superinteressante, o processo de construção dos gêneros por meio de discursos biológicos/científicos, e a produtividade social desses discursos. Este estudo fundamenta-se nos campos teóricos de Michel Foucault e dos estudos culturais para pensar sobre a articulação saber/poder do processo de produção de gêneros divulgados nos discursos biológicos publicados pela pedagogia cultural da mídia. Nesta investigação, ficou evidenciado que os discursos biológicos predominantemente justificam e naturalizam as masculinidades e feminilidades como evidências biológicas, o que acaba por produzir e legitimar formas supostamente naturais de ser homem ou mulher e comportamentos esperados socialmente. No entanto, entendemos que os gêneros são construções sócio-históricas e culturais que nascem em relações de poder-saber, sendo as feminilidades e masculinidades não somente constituídas pelas características biológicas.pt_BR
Appears in Collections:Artigos Científicos - IEMCI

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_DesnaturalizandoGenerosAnalise.pdf290,76 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons