Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6505
Compartilhar:
Tipo: Artigo de Periódico
Data do documento: 2013
Autor(es): PICANÇO, Gessiane Lobato
Título: Optimality theory and historical phonology: an example from nasal harmony in Mundurukú
Título(s) alternativo(s): Teoria da otimalidade e fonologia histórica: um exemplo da harmonia nasal em Mundurukú
Citação: PICANÇO, Gessiane. Optimality theory and historical phonology: an example from nasal harmony in Mundurukú. Alfa: Revista de Lingüística (São José Rio Preto), São Paulo, v. 57, n. 1, p. 257-274, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/alfa/v57n1/11.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2015. <http://dx.doi.org/10.1590/S1981-57942013000100011>.
Resumo: Este trabalho pretende mostrar que a Teoria da Otimidade proporciona novas formas para explicar mudanças de som que não a re-ordenação no ranqueamento deconstraints. Ele examina os aspectos diacrônicos de harmonia nasal na família Mundurukú, tronco Tupi. A comparação entre os sistemas modernos de Mundurukú e Kuruaya salienta que o sistema original, Proto-Mundurukú, tem propriedades semelhantes às atualmente observadas em Kuruaya. Em especial, os alvos do espalhamento de nasalidadeincluiamoclusivas sonoras e soantes, enquanto que as obstruintes surdas eram transparentes. Esse sistema evoluiu para outro em Pré-Munduruku, quando novos contrastes foram introduzidos na língua, transformando obstruintes em segmentos opacos e, portanto, bloqueando a nasalização. A análise, formalizada dentro da Teoria da Otimidade, demonstra que não houve uma re-ordenação dos constraints harmônicos; eles apenas se tornaram mais restritos, como mostra a cronologia relativa que deu origem ao sistema moderno de Mundurukú. Além disso, o estudo discute também as consequências dessa mudança para a gramática sincrônica, e como isso explica as irregularidades do processo.
Abstract: This paper offers an account of diachronic changes in nasal harmony in Mundurukú, a Tupian language from Brazil. It attempts to show that the Optimality Theory provides new ways of accounting for sound change, other than constraint re-ranking. A comparison of Mundurukú and Kuruaya's modern systems points out that the source system, Proto-Mundurukú, had similar properties to those currently observed in Kuruaya. In particular, nasal spread targets were voiced stops and sonorants, whereas voiceless obstruents were transparent. This system was developed into another in Pre-Mundurukú, because new contrasts were introduced in the language, turning obstruents into opaque segments, thus blocking nasalization. Formal OT account of both cases relies on restricting harmony constraints, as shown by the relative chronology that gave rise to Mundurukú's modern system. In addition, this study discusses the consequences of this change to synchronic grammar, and how it explains the process' irregularities.
Palavras-chave: Fonologia
Fonologia diacrônica
Harmonia nasal
Mudança de som
Teoria da otimidade
Índios Munduruku
Amazônia Brasileira
ISSN: 1981-5794
Aparece nas coleções:Artigos Científicos - FALE/ILC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo_OptimalityTheoryHistorical.pdf342,92 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons