Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8502
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 7-Jun-2013
metadata.dc.creator: SANTANA, André Ribeiro de
metadata.dc.contributor.advisor1: NAKAYAMA, Luiza
Title: Representações sociais de aquecimento global por professores de ciências
Citation: SANTANA, André Ribeiro de. Representações sociais de aquecimento global por professores de ciências. 2013. 168 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Educação Matemática e Científica, Belém, 2013. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas.
metadata.dc.description.resumo: Através do presente estudo busquei caracterizar representações sociais de aquecimento global por professores de Ciências (Biologia, Física e Química). Apliquei 70 questionários e entrevistei 10% do público alvo. Os resultados evidenciaram que 97% dos entrevistados responsabilizam o homem pelo aquecimento global, porém 50% deste quantitativo o retratam, simultaneamente, como vítima de eventos climáticos usualmente representados catastroficamente. A mídia influi intensamente nessas representações sociais, pois, alegando longas jornadas de trabalho, meus informantes fundamentam seus saberes no conteúdo de reportagens de revistas e programas de TV; apenas 6,8% afirmaram fazer o mesmo nas interações com seus pares no âmbito escolar. Três particularidades caracterizaram alusões à realidade amazônica: extrema ênfase na dependência humana do meio natural; associações das manifestações do aquecimento global com a floresta e as águas; distanciamento de eventos climáticos impactantes e trágicos. Quando aproximado do cotidiano belenense o aquecimento global foi associado a fenômenos com os quais é possível conviver: intensificações de chuvas e calor. Em termos de ancoragem, ocorreram associações do aquecimento global com camada de ozônio, efeito estufa e poluição atmosférica. Em relação à objetivação, o aquecimento global foi apresentado como desequilíbrio ecológico de escala planetária, e 21.4% dos meus informantes o entendem como resposta punitiva da Natureza às ações humanas. Um pensamento foi consensual: não há como cessar o aquecimento global, porém a Educação Ambiental focada na preservação do meio ambiente permite atenuar, estabilizar e conviver com suas manifestações. Estes entendimentos integram cotidianos escolares de formas pontuais, como evocações de exemplos em conteúdos programáticos afins ao aquecimento global, ou culminâncias de projetos. Essa compreensão se manteve no Núcleo Central das representações sociais de aquecimento global, como oposição e opção às argumentações relacionadas à ação humana. Entre as categorias integrantes do sistema periférico, a falta de consciência, intensamente vinculada à ação humana, foi posicionada próximo à centralidade, assim como o desmatamento, categoria de maior frequência, e queimada, ambas respondendo pela maioria das associações do Núcleo Central à realidade amazônica. Carece ressaltar que, como todas as representações sociais, as do aquecimento global configuram modos de lidar com a realidade, orientam processos de comunicação, agregam relações e fortalecem as coesões de um grupo social, no meu caso, constituído por professores de Ciências. Estes fatores associados aos conhecimentos “ecologizados”, fragmentados e superficiais das especificidades do aquecimento global podem justificar iniciativas de aprimoramento das formações iniciais e continuadas, que podem ser promovidos, de modo contínuo, no cotidiano escolar através das coordenações pedagógicas. Nesse sentido, além de atualizações de conteúdos, urge instigar os professores de Ciências, respeitando-se suas vivências e experiências, ao exercício da reflexão diante do conhecimento científico e da mídia, algo que poderia repercutir no modo de perceber, pensar e lidar com o aquecimento global referido por meus informantes.
Abstract: Through the present study sought to characterize social representations of global warming for science teachers (Biology, Physics and Chemistry). Applied 70 questionnaires and interviewed 10% of target. The results showed that 97% of respondents blame man for global warming. However 50% of this amount portrays him as both a victim of climate events usually represented catastrophically. The media strongly influence these social representations, therefore claiming long working hours, my informants’ base their knowledge on the content of news magazines and TV programs; only 6.8% reported doing the same interactions with their peers in the school. Three peculiarities characterized allusions to reality Amazon: extreme emphasis on human dependence on the natural environment; associations of the manifestations of global warming with the forest and the waters; distancing weather events impacting and tragic. When approached everyday belenense global warming was associated with the phenomena with which it is possible to live: intensification of rainfall and heat. In terms of anchoring, were associations of global warming with the ozone layer, greenhouse gases and air pollution. Regarding the objectification, global warming was presented as planetary-scale ecological imbalance, and 21.4% of my informants perceive as punitive response of Nature to human actions. One thought was consensual: there is no cease global warming, but environmental education focused on the preservation of the environment helps to mitigate, stabilize and live with their demonstrations. These understandings are part of everyday school specific forms, as evocations of examples in program content related to global warming, or heights of projects. This understanding remained in Central Nucleus of social representations of global warming, as opposed to the option and arguments related to human action. Among the categories members of the peripheral system, lack of awareness, extensively linked to human action, was positioned near the central as well as deforestation, category more often, and burned, both accounting for most of the associations of the Central Nucleus reality Amazon. Lacks noteworthy that, like all social representations, the global warming constitute ways of dealing with reality, guiding communication processes, aggregate relationships and strengthen the cohesions of a social group, in my case, consisting of science teachers. These factors associated with knowledge "ecologizados" fragmented and superficial the specifics of global warming can justify improvement initiatives initial training and ongoing, which may be promoted continuously, at school through the pedagogical coordination. Accordingly, in addition to content updates, instigate urges science teachers, respecting and their experiences with the exercise of reflection on scientific knowledge and the media, something that could impact the way we perceive, think and deal with the global warming mentioned by my informants.
Keywords: Ambiente escolar
Sociologia educacional
Meio ambiente
Professores de ciências
Psicologia social
Estudo e ensino
Educação ambiental
Aspectos sociais
Aquecimento global
Representação social
Educação em ciências
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO AMBIENTAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Educação Matemática e Científica
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Educação em Ciências e Matemáticas (Doutorado) - PPGECM/IEMCI

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_RepresentacoesSociaisAquecimento.pdf1,42 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons